ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Eduardo Palomares

O primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba, Raul Castro, e o presidente Miguel Díaz-Canel inauguraram em 23 de abril, em Santiago de Cuba, a escola para crianças com deficiências físico-motoras Amistad Cuba-Vietnam, um sonho do líder histórico da Revolução Fidel Castro.

Falando em nome dos pais, Aylin Torres disse que, se na tentativa de aplicar o Capítulo III da Lei Helms-Burton, alguém pensa tirar-lhes este edifício belo e nobre, vão ter que enfrentar eles, os próprios estudantes, os professores e outros trabalhadores que irão defendê-lo de forma consistente.

A escola está localizada em uma residência de estilo eclético Villa Elvira, que para o descanso dedicara a sua esposa o patriota ilustre Emilio Bacardí Moreau (1844-1922), na antiga fazenda El Coral, na zona suburbana de Cuabitas, na estrada a Boniato.

Talvez pela atmosfera campestre que inspiram as mangueiras floridas, as altas palmeiras e as colinas no fundo, combinado com o zelo dos artistas na decoração de edifícios e jardins, incluindo um grande chafariz central e os quartos acolhedores e salões de jogo, e em primeiro lugar por ter um coletivo tão especial, a alegria é sem dúvida a realidade.

«Eu acho que é um sucesso inicial da escola», observa a doutora Triana Mederos, cuja vida profissional tem sido associada a este ensinamento e hoje serve como diretora nacional de Educação Especial, do ministério da Educação, «porque são alunos com deficiência físico-motora, e estes primeiros 67, vindos das províncias de Las Tunas, Holguín, Granma, Guantánamo e Santiago de Cuba parecem estar em suas casas ou fazer vários cursos aqui».

«Como é fácil de apreciar» — precisa — «para ter tais centros como este é necessário muito esforço e recursos por parte do Estado e, embora o objetivo principal seja a reabilitação física, psicológica e pedagógica das crianças, longe de serem escolas obrigatórias exigem a vontade e o envolvimento próximo dos pais».

«Para isso existem programas e estratégias concebidas com base na vasta experiência dos nossos professores, o diagnóstico preciso e o tratamento de especialistas da Saúde Pública, o Ministério do Trabalho e da Previdência Social, a Associação Cubana de Pessoas com Limitações Físicas-Motoras (ACLIFIM) e decisivamente essa integração dos pais e da família».

Para transformar a instalação, que até então era uma escola semiinterna, o investimento ascendeu a cerca de 3,5 milhões de pesos no final de novembro e incluiu a renovação geral da elegante mansão Villa Elvira, no comando da Fundação Caguayo, a construção de um bloco de salas de aulas, a adaptação de salas de aula, quartos, banheiros e refeitório, às características dos alunos.

Ydiobis Rodríguez Magdariaga, diretor da escola, acrescenta que para a atenção dos 74 alunos internos e 46 alunos semi-internos (os últimos da cidade de Santiago de Cuba), tem 32 professores diretamente na frente da sala de aula e outros 23 entre assistentes de ensino e bibliotecários especializados neste ensino.

O trânsito compreende dos cinco aos 15 anos de educação primária e secundária, de acordo com os programas nacionais de educação; serviços de reabilitação física por meio da equipe multidisciplinar de Saúde Coletiva, capacitada com os recursos necessários, e atendimento especializado de terapia ocupacional.

A escola tem dez salas de aula, laboratórios, uma sala de informática, três áreas de lazer, assistência médica 24 horas por dia no consultório médico, salas de enfermagem e observação, além de salas de odontologia, eletroterapia e terapia magnética e academia de ginástica. .

Tanto naquelas ações construtivas, como no conforto dos quartos e nas condições da oficina de artesanato, confecção e reparação de cadeiras de rodas pelos próprios alunos, o parque biossegurável, um campo esportivo, a lavanderia e unidades administrativas e de ensino, a responsável do investimento, Ileana Quintana Coca reconhece a intervenção da Empresa Provincial de Atenção e Serviço à Educação.

VOCÊ DEVE SABER QUE:

- Cerca de 34.000 crianças, adolescentes e jovens estão matriculados em escolas especiais.

- Quase 12.000 professores os assistem.

- A escolarização nessas instituições não é obrigatória. Os pais decidem se querem que seu filho ou filha estude lá ou no ensino regular.

- Se este último caso ocorrer, os programas de atenção e estudo são garantidos.

- Um total de 202 centros de diagnóstico e orientação operam em todas as províncias, pelo menos um em cada município, para aconselhar a família na determinação do contexto que mais favorece o desenvolvimento de bebês e adolescentes.

- São equipes multidisciplinares compostas por pedagogos, psicopedagogos, psicólogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais e psicometristas.

- O Mined mantém uma relação estreita com o Ministério da Saúde Pública para casos que requerem atenção nas instalações hospitalares.