ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

A partir dos primeiros anos da Revolução Fidel Castro — como em muitas outras tarefas — brilhou pela determinação de conceder ao esporte seu verdadeiro significado, tornando-o um movimento que abrangesse todo o povo.

O ano 1961 foi decisivo, pela vitória conseguida, em abril, contra a invasão mercenária de Playa Girón e pelo sucesso da Campanha de Alfabetização, lendas reconhecidas na América Latina, em meio do cerco da administração estadunidense de John F. Kennedy, que ameaçava atacar novamente a Ilha. Para conseguir esse propósito,os ianques constrangiam os governos marionetes do continente para que cortassem as relações com nosso país, como aconteceu em novembro desse ano com o presidente venezuelano Rómulo Betancourt, traição rejeitada pelo povo desse país irmão nas ruas.

Assim, nos começos da Revolução Cubana formou-se essa convicção que nos acompanha até hoje: resistir e avançar, pois as condições impostas pelos norte-americanos não seriam o fim da determinação de tornar-nos um povo saudável e forte, pronto para enfrentar qualquer agressão. Contudo, junto ao impulso das ideias renovadoras nos diferentes ramos da sociedade, também seria preciso um novo planejamento do esporte, mudar totalmente sua organização para conseguir sua prática permanente e intensiva e incorporar a população toda.

Em 23 de fevereiro de 1961, foi fundado o Instituto Nacional dos Esportes, Educação Física e Recreação (Inder) e um momento crucial de sua criação foi a Primeira Reunião Plenária Nacional, que se reuniu durante os dias 18 e 19 de novembro no próprio Instituto, fazendo parte de um processo de debate, iniciado durante as seis semanas anteriores, nas antigas seis províncias do país. Daí surgiram as bases para estabelecer planos de trabalho e criar os Conselhos Voluntários Esportivos (CVDs), que se desenvolveram com mais de 100 mil ativistas do país.

Fidel resumiu essa reunião diante de um auditório de mulheres e homens dispostos a participar da criação de seis mil CVDs nos municípios, bairros, usinas, chácaras e cooperativas, sendo possível estimular a prática da educação física e o esporte. Participaram do evento representantes da Associação dos Jovens Rebeldes (AJR), os CDRs, a FMC, as Organizações Revolucionárias Integradas (ORIs), a ANAP e a CTC, cujo fundador e dirigente operário Lázaro Peña também falou aos assistentes.

PENSAMENTO PERDURÁVEL

As ideias principais do pensamento do Comandante-em-chefe acerca do esporte, expressas em novembro, mantêm sua vigência. Hoje, continuam sendo a união da escola e o lar o sustento de um homem sadio, capaz de aproveitar suas potencialidades para o bem da sociedade. Daí surgiu a prioridade de realizar eventos interescolares, os Jogos Escolares e Juniores e outros certames, com o propósito de contribuir para a saúde e incrementar a base de talentos para o esporte de alto rendimento. Esse propósito só é atingível a partir da revitalização do trabalho com os atletas em desenvolvimento, incentivando a criatividade no território, para a possível solução das carências materiais e contribuindo para a superação dos treinadores, ainda em meio das atuais limitações econômicas.

«É preciso maximizar o esforço a favor da educação física e o esporte no ensino primário, secundário, nas usinas, chácaras, cooperativas e em todos os núcleos das massas», dizia Fidel, com visão futurista, no encerramento da Plenária Nacional, interessado em desenvolver um movimento esportivo que tirasse a imagem herdada do capitalismo, responsável por só 0,25% da população que participava das atividades esportivas. É importante o fato de «despertar no povo o interesse pelo esporte, frustrado em anos anteriores, porque não constituía uma atividade do povo humilde», indicava o então primeiro-ministro.

Dar acesso à mulher nas diferentes disciplinas foi outra das tarefas dadas aos ativistas, em meio de um ressurgimento esportivo, em prol da exercitação física da população, na qual estiveram presentes os testes de aptidão física Prontos Para Vencer (por sua sigla em espanhol: LPV) e as muito promovidas atividades curtas ou intermédias (Fisminutos), prática diária na qual um grupo de pessoas de determinado local de trabalho ou outra índole tinham como propósito fazer exercícios durante uns minutos.

PRESERVAR OS VALORES

Fidel estava convicto — tal como aconteceu posteriormente, no ano 1961 — de que «é impossível que um movimento esportivo de massas como aquele vivenciado em Cuba, não criasse um número extraordinário de verdadeiros atletas», algo que demonstraram os sucessos de Cuba nos Jogos Centro-americanos e do Caribe, Pan-americanos e Olímpicos, para mencionar alguns eventos multidisciplinares.

Hoje, quando são globalizados os avanços científico-técnicos e se torna mais cara a participação nos certames internacionais, o Inder incorpora paulatinamente seus esportistas a clubes estrangeiros, sob a análise de como atingirão as condições idôneas para conseguir a perícia esportiva, ao passo que melhoram sua economia, respeitando os princípios que sustentam a política esportiva do país. Não obstante, ainda persistem dívidas na organização de campeonatos nacionais de diversas disciplinas, convocadas para enriquecer o talento de jovens com condições para, além de trabalhar em prol da saúde, fazer parte do alto rendimento.

Durante toda sua vida, Fidel esteve do lado da preservação dos valores humanos, daí sua confiança no trabalho coletivo, porque o esporte ensina a esforçar-se, ter disciplina, fazer trabalho coletivo porque, precisamente, os esportes são praticados, geralmente, em equipe e assim se aprende a trabalhar coletivamente.

Fidel foi um fã do esporte. Viveu-o e sentiu-o; acompanhou e desfrutou das façanhas dos cubanos em inúmeras competições. Seu exemplo duradouro se pode constatar neste critério que ele expressou, no encerramento da Reunião Plenária Nacional do Inder, em 1961: «É por isso que o esporte, uma tão maravilhosa atividade que não só ajuda à saúde física, não só ajuda a formar o caráter, não só ajuda forjar homens de espírito e de corpos fortes, mas também motiva o povo, entretém o povo, entusiasma o povo e faz feliz o povo».

Aquele 19 de novembro, deu pé para que fosse instituída essa data como o Dia da Cultura Física e o Esporte.