ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Hotel Meliá Las América em Varadero se encontra aberto, prestando serviço aos turistas. Photo: Juan Diego nusa Peñalver

«RATIFICAMOS de maneira objetiva nosso compromisso de que todas as instalações do turismo cubano estarão operativas para a temporada alta, depois da passagem pelo país do furacão Irma, disse o ministro do Turismo da Ilha, Manuel Marrero Cruz, em um encontro realizado com uns 160 operadores turísticos do destino Cuba, em 23 de setembro, no Centro de Convenções Plaza América, de Varadero.

Explicou que para esse empenho se dispõe dos recursos financeiros, do equipamento, dos recursos materiais e, sobretudo, do pessoal necessário.

O titular do Ministério do Turismo (Mintur) insistiu em que nosso «compromisso com vocês não se limita apenas a recuperar as afetações do furacão, mas a que tudo ficará melhor do que antes e que teremos como resultado final um produto turístico mais atualizado e com uma maior qualidade».

Apontou Marrero Cruz que fala com a autoridade, não a dada pelo cargo, mas de ter passado o furacão nas zonas de maior afetação, «de ter ido a todos os lugares turísticos da costa norte do país e vários deles mais de uma vez (...)

O turismo cubano estará operativo e restituído para esta temporada alta».

Destacou que foi restabelecido o fornecimento de energia elétrica, de água e as comunicações em 100% dos polos turísticos da Ilha maior das Antilhas. Incluindo as ilhotas Cayo Santa Maria, Coco e Guillermo.

O ministro do Turismo de Cuba, Manuel Marrero Cruz, a seu lado, Ivis Fernández, delegada do Mintur em Varadero, durante o encontro com os operadores turísticos. Photo: Juan Diego nusa Peñalver

Realizou uma ampla análise das afetações provocadas pelo adverso fenômeno climatológico na indústria do lazer local e qualificou estas no setor de leves, em sentido geral.

Assinalou que não sofreram nenhuma afetação as instalações turísticas dos territórios de Guantánamo, Santiago de Cuba, Granma, Cienfuegos, Mayabeque, Artemisa e Pinar del Rio, as quais «estiveram funcionando sem nenhum tipo de dificuldade».

Considerou de leves os danos sofridos por instalações de Sancti Spíritus, sobretudo no norte, Las Tunas, o litoral norte da província de Holguín, e em Camaguey. Igualmente considerou que os prejuízos em relação a isso foram muito menores nos polos de Havana e Varadero.

PRINCIPAIS AFETAÇÕES

Significou que as afetações ao setor estiveram concentradas na perda de cobertas leves, falsos tetos, rotura de cristais e nas áreas de relva.

«Não há nenhum hotel que se tenha derrubado, ou um prédio onde tenha colapsado uma estrutura de cimento armado», disse Marrero Cruz, que acrescentou que se registraram danos em cobertas de palmeira e estrutura de casas rústicas e elementos de madeira facilmente de repor.

Referiu que as áreas de relva verdes foram afetadas, «nos entornos onde várias árvores foram derrubadas».

Contudo, esclareceu que não estamos na presença de hotéis e polos turísticos que se tenham ficado sem árvores.

Já o hotel Ocean Vista Azul, de Varadero, que não sofreu dano pela passagem do furacão Irma recebe turistas. Seu maior mercado é o Canadá, mas tem afluência de clientes de inúmeros países. Photo: Juan Diego nusa Peñalver

Manifestou que as principais afetações, dos danos anteriormente assinalados, concentraram-se nos polos turísticos das ilhotas Coco, Guillermo e Santa María, situados na costa norte do país e facilmente recuperáveis para a temporada turística alta.

Em relação a isso apontou que se avança no processo recuperativo e de limpeza. Dos 18 hotéis com os quais contam os polos das ilhotas Coco e Guillermo, este último onde os danos contabilizados foram menores, 14 estarão totalmente recuperados para 1º de novembro, inclusive o aeroporto totalmente operativo e em melhores condições que antes da passagem do meteoro. As restantes quatro instalações hoteleiras abrirão suas portas completamente restabelecidas para 15 de novembro.

Explicou que a recuperação de toda a atividade extra-hoteleira da Ilhota Coco estará concluída entre 15 e 20 de outubro, inclusive sua marinha, o golfinário, banhos com golfinhos, com a torre de vidro e com as casas rústicas da praia.

Disse que os hotéis da ilhota Santa María têm as forças, os recursos e toda uma estratégia para estarem completamente operativos e oferecendo serviços aos turistas para 15 de novembro.

Quanto aos aterros especificou que se habilitaram acessos provisionais, e que o da ilhota Coco estará reabilitado em uns 15 ou 20 dias, e o a ilhota Santa María para 1º de novembro.

Informou que o aeroporto nacional da ilhota Las Brujas estará pronto em 15 de outubro, enquanto o terminal aéreo internacional da cidade de Santa Clara iniciou suas operações no próximo 25 de setembro recebendo voos procedentes dos EUA.

Destacou que receberam muita preocupação dos clientes sobre o estados das praias nas ilhotas do norte do país depois da passagem do furacão e sobre isso «posso assegurar-lhes que as praias do norte do país melhoraram consideravelmente suas condições após a passagem do furacão, deixaram-nos muita mais areia e melhores dunas».

De Varadero, o principal polo turístico da nação, expressou que se encontra prestando serviço salvo em cinco hotéis.

Photo: Juan Diego nusa Peñalver

Indicou que Varadero têm 52 hotéis, dos quais 47 se encontram abertos.

Dos 20.790 apartamentos deste polo, acrescentou, foram prejudicados 5.411, que representa apenas 26%. Até à data conseguiram reparar 1.374.

«Em 30 de outubro Varadero ficará totalmente sem marcas do furacão».

Ressaltou que apenas cinco hotéis abrirão depois: Puntarena e Playa Caleta; Paradisus Varadero, Ocean Patriarca e Meliá Península, que têm data de abertura para 15 de novembro. «Estou falando da península completa de Varadero, que já está em sua etapa final de recuperação. Fez-se um trabalho forte».

Também informou que se mantém o evento de turismo de natureza de 25 a 30 de setembro, pois a natureza do oriente cubano não sofreu afetações.

No tema dos abastecimentos ao turismo, disse que foi conciliado com os organismos e as empresas produtoras de alimentos do país e os produtos afetados serão garantidos com sua importação imediata de destinos próximos a Cuba.

«Temos o dinheiro e o contrato para as importações e as indicações estão dadas para que não existam problemas com os abastecimentos ao turismo».

«Nós vamos dar os padrões que tem cada hotel com suas categorias, temos pessoal dedicado a isso e o mecanismo para a distribuição em todo o país. Tomaram-se as decisões necessárias para garantir seu asseguramento».

Apontou que o impacto do furacão provocou uma queda de 50% na chegada de turistas em setembro; «mais do que até 22 de setembro o país recebeu em números redondos 3,6 milhões de turistas. No ano passado por esta data andávamos por ao redor de três milhões de turistas. E no dia de hoje continuamos crescendo em aproximadamente 24% as chegadas».

Na jornada, os operadores de turismo percorreram 11 hotéis em Varadero e constataram sua excelente condição e estado, entre os quais estiveram Iberostar Varadero, Iberostar Bellavista, Meliá Las América, Sol Palmera Memories Varadero, Royalton Hicacos, Ocean vista Azul e Barceló Arenas.

COM VERONICA E JOSÉ

Verónica Orellana Rodríguez e José Antonio Triviño Bermúdez são de Cádis, Espanha e resolveram passar sua lua-de-mel, com toda pompa, em Cuba e no hotel Ocean Vista Azul, de cinco estrelas e um dos hotéis que mais atenção está concitando no polo turístico de Varadero por suas duas magníficas praias, sua popular piscina infinita e um eficiente e personalizado serviço aos hóspedes.

«Estamos de lua-de-mel em Cuba e estamos passando muito bem. É a primeira vez que viemos e gostamos muito de tudo, Os cubanos são muito amáveis e sempre têm um sorriso para nós», expressou ao Granma Internacional Verónica, enquanto se bronzeava e desfrutava de uma cálida brisa na piscina infinita.

Por seu lado, José explicou que gostou muito da cidade de Cárdenas, Matanzas e de Havana, bem como que não encontrou marcas do furacão no hotel. «A praia e a piscina são excelentes, pretendemos retornar quando juntemos um pouco de grana (dinheiro)».

A uns passos de Verónica e José, o mexicano Jorge Alberto González Camacho, gerente manager do Ocean Vista Azul, um tudo incluído de 470 apartamentos e inaugurado em 1º de dezembro de 2015, não perde nem pé nem passo a tudo quanto acontece na instalação; atende clientes ou dá as boas-vindas a um grupo de operadores turísticos do destino Cuba, que decidiram constatar ‘in situ’ a rápida recuperação do principal polo turístico cubano, após a passagem do forte meteoro, com o propósito de restabelecer e normalizar os fluxos turísticos.

«Nossa instalação não sofreu nenhum dano, fizemos uma forte preparação prévia na proteção das áreas que considerávamos sensíveis e retiramos as espreguiçadeiras e guarda-sóis da praia. Depois da passagem do fenômeno natural, já no domingo 10 de setembro às 13h00 estávamos dando serviço na mesa bufê», afirmou este jovem executivo que assinala que em menos de 48 horas reabriram o resto dos serviços do hotel.

Confirma que a praia não recebeu afetação alguma e que em seus quase dois anos de exploração, a instalação tiveram «uns resultados impressionantes, muito positivos».

O Ocean Vista Azul, que é operado pela cadeia dominicana H-10, em parceria com o grupo da hotelaria cubana Gaviota, recebe fundamentalmente clientes do Canadá, mas no momento da visita do Granma Internacional tinha turistas da Alemanha, Reino Unido, Itália, Espanha, Argentina, Rússia, Chile, Colômbia, China, França, Peru e dos EUA, entre outros.

Por seu lado, Walter C. Martino, um suíço de origem espanhola, que é o manager geral do hotel Be Live Turquesa, outro tudo incluído mas de quatro estrelas e 268 apartamentos, na chamada Praia Azul, significou que as afetações provocadas pela passagem de Irma já foram recuperadas em 99%.

«Daqui a uma semana ficará totalmente restabelecido o restaurante bufê», assegura Martino, que acrescenta que desde 20 de setembro já têm turistas e esperam ter todas as capacidades ocupadas para o próximo quatro de outubro. «Aos turistas dizemos que venham ao nosso hotel e a Varadero, que é uma experiência única por suas gentes e os grandes hotéis que temos aqui, vale a pena».

A cubana Sheila Álvarez, vice-diretora geral do Be Live Turquesa, manifestou que o esforço para a reabilitação foi maior, foi feita com qualidade e em tempo recorde. «Trabalhamos com muito amor e desejo, pois dependia de que pudéssemos abrir e retomar as vendas de nossas capacidades».