ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Yander Zamora

O filme chileno El club, dirigido por Pablo Larraín, obtuve o Prêmio Coral ao melhor longa-metragem de ficção, durante o encerramento e entrega de prêmios do 37º Festival Internacional do Novo Cinema Latino-americano, em 13 de dezembro.

Nas palavras de encerramento, o presidente do Festival, Iván Giroud, expressou que a obrigação primeira do festival é revelar para onde vai nosso cinema, estabelecer seu entorno e descobrir suas múltiplas conexões com nossa sociedade e com nosso tempo.

“Somente assim estaremos respeitando os fundadores, aqueles que até suas vidas deixaram no caminho para que hoje sejamos mais plenos. Nessa perene busca está nossa força. Hoje o novo cinema latino-americano é o novo cinema, e é assim porque seu desenvolvimento está impregnado pela visão daqueles jovens cineastas: Alfredo, Glauber, Birri, Titón, Santiago, Gabo, Julio, que primeiramente sonharam e depois construíram”, acrescentou.

Dentro do item de Ficção, cujo júri foi presidido pela atriz britânica Geraldine Chaplin, foi outorgado um Coral especial ao longa-metragem brasileiro Touro de neônio, enquanto o de Direção foi conferido a Sandra Kogut, pela fita Campo grande, também do Brasil, e o de Fotografia e Direção artística à La luz incidente, da Argentina.

A co-produção El abrazo de la serpiente (Colombia-Venezuela-Argentina) obteve o Coral de Edição e Música original, e o de Som coube à fita mexicana Yo. O melhor curta de ficção foi para o cubano Marcel Beltrán, por La nube, e o Coral de Roteiro para Julio Hernández Cordón, por Te prometo anarquía, do México; cujos dois atores principais: Diego Calva e Eduardo Eliseo Martínez, compartilharam o prêmio de Atuação masculina. O feminino coube à atriz mexicana Jana Raluy, por Un monstruo de mil cabezas.

Em Obra prima, o júri determinou entregar um Prêmio à Contribuição Artística ao filme colombiano Manos sucias e o Coral foi outorgado ao filme Desde allá, da Venezuela e o México.

No item de Documentário entregou-se um prêmio especial a A paixão de JL (Brasil), e os corais ao curta Tripido (Colômbia) e ao longa-metragem Casa Blanca (Cuba-México,-Polônia).

A Animação contou entre seus galardoados com o curta brasileiro Guida (Prêmio Especial), Los ases del corral (Coral de Curta-metragem) e Las aventuras de Juan Quin Quin (Coral de Meia-metragem), e em Pôster foi vencedor o do designer Pepe Menéndez pelo do filme Cuba libre.

O Prêmio Coral do público, que é determinado cada ano pela votação dos espectadores, premiou nesta ocasião a fita argentina El clan, de Pablo Trapero.