ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Yander Zamora

NAS vésperas do 95º aniversário do nascimento de Alicia Alonso, o Ballet Nacional de Cuba (BNC) apresentou uma função de gala intitulada ‘Mestra de gerações’, no domingo 20 de dezembro, sob a direção artística e montagem coreográfica de Alberto Méndez, na sala Avellaneda do teatro Nacional, com a presença do assessor do presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, Abel Prieto, e do ministro da Cultura, Julián González, entre outras personalidades.

À altura de seus 95 anos, Alicia voltou a ser protagonista destas histórias sobre o palco. E retornou a nós na pele da descendência de uma obra enorme.

De Giselle a Odile, de Carmen a Lissette... eis o gênio tornado corpo em Alicia, quem por sua arte, atraente, carisma fisionômico com ritmo de música e contorções telúricas, liderou no tempo, como personagem-símbolo, a diversa interpretação artística visual nossa.

Nesse mágico espaço deixou eternos instantes. Como estrelas que ganham forma na sua passagem, apareceram as cenas da mão do imaginativo criador Alberto Méndez para deixar constância no aniversário dela. Uma sapatilha dourada que só podia levar Alicia como dona absoluta — tal como Cinderela — constituiu o leitmotiv da história, contada a partir de vivências no palco, através do tempo, nos muitos personagens que apareceram em pouco mais de uma hora. Eles tresandaram as tábuas “vestidos” pelos bailarinos de topo do BNC: Anette Delgado, Sadaise Arencibia, Estheysis Menéndez, Jessie Domínguez, Ileana Farrés, o mestre Adolfo Roval, Dani Hernández, Víctor Estévez, Félix Rodríguez, Ernesto Díaz, secundados por solistas e o corpo de dançarinos, juntamente com a Orquestra Sinfônica do Grande Teatro de Havana Alicia Alonso, sob a regência de Giovanni Duarte, prestando tributo a Alicia Alonso.

No fim, Alicia subiu no palco, escoltada pelos bailarinos, e entregou as sapatilhas douradas —que sublinhavam seu gênio/talento— a uma estudante mirim de ballet. É um símbolo. Alicia, a das maravilhas dançárias, voltou a atuar para nós, transformada em uma legião de bailarinos que levam sua influência cubana e universal. De seu povo, agradecido, voltou a receber flores e o sincero carinho convertido em ensurdecedora ovação.