ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Yander Zamora

“É um prazer estar em Cuba, daremos um show especial para os cubanos”, disse Mick Jagger, o mítico líder dos Rolling Stones, ao desembarcar na quinta-feira, 24 de março, no aeroporto José Martí, junto com seus companheiros de história, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Wood.

Os quatro Stones chegaram depois das 18 horas, pelo terminal 1 do aeroporto internacional José Martí, onde foram recebidos pelo presidente do Instituto Cubano da Música, Orlando Vistel e o embaixador inglês em Havana, Tim Cole.

Ao falar brevemente à imprensa, Jagger confirmou que ainda não pensaram na aposentadoria. “Haverá Rolling para muito tempo” reafirmou. E acrescentou que é um prazer também estar aqui depois da visita do presidente Barack Obama.

Com os Stones também chegaram Bernard Fowler e Darryl Jones, da banda The Dead Daisies, os quais tinham assegurado ao jornal Granma, durante a sua primeira visita a Havana, que alentariam Jagger e a banda a tocar na Ilha. E o prognóstico foi cumprido.

Os músicos e sua ampla equipe estiveram durante uns 15 minutos em um dos salões do aeroporto antes de subir aos carros que os levaram para diferentes hotéis da capital cubana.

Com os Stones, chegou um staff de 70 pessoas entre representantes, assistentes, familiares e amigos da banda. Espera-se que os músicos, como têm feito em outros países da turnê, visitem durante os poucos dias que estarão em Cuba alguns centros do circuito cultural de Havana e outros lugares de interesse histórico. Este redator conheceu, ainda, que compartilharão com alguns músicos cubanos, tal como fez mesmo Jagger durante sua viagem a Havana no passado mês de outubro.

A peregrinagem dos fans dos Rolling iniciou-se desde princípios desta semana, enquanto uma boa parte dos seus seguidores mais furibundos estarão na Cidade Esportiva desde as primeiras horas deste amanhecer. Os admiradores de todas as províncias começaram a chegar a Havana desde o dia anterior e muitos deles, cubanos que moram em diferentes países, já viajaram à Ilha para desfrutar do show e afiançar seu alto nível simbólico.

A banda tocará especialmente as peças clássicas do seu repertório, no qual não faltarão as míticas Satisfaction e Sympathy for the Devil, junto a outros clássicos como Start Me Up, Paint it, black e Brown Sugar.

O concerto durará duas horas e 15 minutos, mas não se descarta que cantem outras peças. Para a estreia dos Stones em Cuba viajaram à Ilha artistas de grande renome, como o cineasta inglês Julián Temple (amigo de Jagger e diretor de vários filmes sobre David Bowie, Joe Strummer, líder da banda de punk The Clash e Sex Pistols), a fotógrafa de rock Jill Furmanovsky, enquanto se espera outras importantes figuras do mundo do espetáculo relacionadas com o cinema rock e o rock and roll.

O concerto, inserido dentro do programa da Semana da Música Britânica, será o ponto final da turnê Olé Tour, um périplo que começou em fevereiro no Estádio Nacional do Chile e que levou a lendária banda britânica a palcos da Argentina, Uruguai, Peru, Colômbia, Brasil e o México.