ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Juvenal Balán

Na manhã da segunda-feira, 13 de fevereiro, o doutor Armando Hart Dávalos recebeu o Prêmio Nacional de Jornalismo José Martí em uma jornada de homenagem, no contexto da 26ª Feira Internacional do Livro de Havana, dedicada a este intelectual e ao Canadá como país convidado de honra.

Hart recebeu o prêmio pela obra da vida toda das mãos do presidente da União dos Jornalistas de Cuba (UPEC), Antonio Moltó, o mais alto estímulo desta organização a um profissional de prestígio e desempenho de mérito em sua contribuição a esse setor.

A cerimônia teve lugar no Memorial José Martí e marcou presença o ministro da Cultura, Abel Prieto; o Herói da República de Cuba, Fernando González Llort, bem como outras personalidades da cultura e o jornalismo.

Juana Carrasco, presidenta do júri, destacou que se trata de um homem de fervorosa vocação e convicção martiana e de um político humanista e ético, «um intelectual irredutível que pôs a cultura no alicerce da orientação cubaníssima e no equilíbrio universal».

Disse que a decisão do júri foi, nesta ocasião, de maneira muito especial tal e como se fez, em seu momento, em 2008, com os comandantes Fidel Castro e Hugo Chávez.

Após a cerimônia de premiação foi lançado o livro Fe, trazos en mi memoria desde la ética (Volume 9º, 1952-2016) compilação de Eloísa Carreras Varona, doutora em Ciências Filosóficas da Universidade de Havana e estudiosa de sua vida e obra.

O texto da editora Pablo de la Torriente Brau, com cerca de 400 páginas, é uma obra que deve ser lida com cuidado e devagar, e não somente para se familiarizar com obras de personalidades que aparecem no volume, como Eduardo Torres-Cuevas, Araceli García Carranza, Fernando González Llort e Julio Domínguez García.

Ainda, no Memorial e até 19 deste mês, quando conclua a Feira, estará aberta ao público a exposição ‘Hart pasión por Cuba’, com mais de 40 fotos, organizada e montada por Roberto Chile, sobre os momentos decisivos da vida de uma das figuras mais admiráveis da Revolução.