ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Juvenal Balán

O capítulo havanês da 26ª Feira Internacional do Livro, chegou ao seu fim e o ato de encerramento teve lugar, em 19 de fevereiro, na sala Nicolás Guillén, da fortaleza de San Carlos de La Cabaña. Quando chegou a última de suas jornadas, mais de 1.100 ações literárias – entre elas o lançamento de uns 900 livros, 28 painéis e 106 espaços de leitura de poesia – tinham sido algumas de suas mais atraentes propostas.

Na presença de Abel Prieto, ministro da Cultura, Juan Rodríguez Cabrera, presidente do Instituto Cubano do Livro; e Anna Lise Domanski, segunda secretária da embaixada do Canadá, entre outros diretivos, o ato foi oportuno para reafirmar acertos que teve a presente edição – como a venda de 301.500 exemplares, 111.540 mais que na mesma etapa no evento anterior; e a assistência de 415.599 visitantes, superior em 25 mil ao ano passado, entre outros aspectos – sem que isso signifique que se tenha conseguido uma satisfação plena das aspirações e necessidades do público leitor e da família que vem a cada espaço da feira.

Em suas palavras, Rodríguez Cabrera destacou a participação na presente edição da Feria de 536 representantes de 46 países, com 232 expositores, 173 escritores, 48 editores, oito artistas e 75 funcionários; e expressou que o Canadá como País convidado de Honra nos tem deleitado com sua cultura.

Em um à parte reafirmou que as homenagens tanto ao comandante-em-chefe Fidel Castro, fundador, criador e inspirador da Feira do Livro, como ao doutor Armando Hart, consagrado às causas mais nobres do ser humano, constituem merecidos tributos que já se tornaram patentes com o encerramento desta etapa cuja continuidade entra em andamento nos próximos dois meses para concluir em 16 de abril, em Santiago de Cuba.

A oportunidade foi propícia para a entrega dos Prêmios aos melhores estandes da Feria. Na categoria de estande não modular obtiveram prêmios a Organização Nacional de Cartórios Coletivos e um prêmio especial ao Projeto cultural Nossa História e Fidel; enquanto na categoria de estande modular foi premiado o correspondente a Ediciones Unión.