ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Foto: Ricardo Alonso Venereo

RESGATAR e promover a obra de Antonio Gumersindo Garay, mais conhecido como Sindo Garay (Santiago de Cuba,12 de abril de 1867- Havana,17 de julho de 1968), no seu 150º aniversário natalício, é o propósito principal da Empresa de Gravações e Edições Musicais (Egrem) com a publicação — neste mesmo ano — de três CDs do autor de La Bayamesa e de El Huracán y la Palma.

De la trova un cantar…Sindo Garay, assim se intitula o primeiro dos três CDs, que recentemente foi lançado, constando de 12 músicas, todas da autoria dele, exceto Tormento fiero, com música de Sindo e letra de Pipí Richard e de dois bonus tracks (peças musicais): La baracoesa e Que ojos serían, últimas gravações que realizou «o bardo sublime» em sua vida.

Entre as peças incluídas neste CD acham-se Ojos de sirena, Elvira, Germania, África, Guarina, La baracoesa, Neurosis, Perla marina, Rayos de Oro, Tormentos fieros, Ya es tarde e Retorna. As mesmas são interpretadas por cantores como Adriano Rodríguez, Dominica Verges, o dueto Almenares Márquez, o dueto Cabrisas-Farach, Manolo Mulet, sua neta Margarita (quem pela primeira e única vez canta junto a seu pai Hatuey, acompanhados por Sindo no violão, na peça La baracoesa) e seus filhos Guarionex e Hatuey Garay.

Nas notas discográficas, das quais se responsabiliza o pesquisador Lino Betancourt, alega-se: Sindo resume em sua vida de ator, compositor e cantor centenas de trovadores de antes e depois. Quando se refere ao CD assinala: «Nele acharão gravações do cantor e compositor, pouco divulgadas e terão o privilégio de escutar Sindo cantando junto a seus fi-lhos Guarionex e Hatuey. Esta produção é uma espécie de arquivo ou fonte de consulta para os estudiosos da trova».

No lançamento do CD De la trova un cantar… Sindo Garay, como parte da edição passada do Cubadisco 2017, Rodolfo Garay, neto do reconhecido músico, agradeceu à Egrem pelo trabalho realizado na recuperação de mais de uma centena de peças do cantor e compositor em condições de deterioro. Doadas pela família de Sindo, algumas destas músicas eram totalmente esquecidas ou pouco divulgadas.

É preciso destacar a seleção musical da qual é responsável Hjandy E. Cantero Rodríguez, editora da Egrem; o traba-lho no arquivo e na documentação realizada por Roberto Vicente Prieto Borrego e Annia Liz de Armas Valido; a de restauração e masterização que realizou o engenheiro Daelsis Pena Padilla e o acertado design de J.A. Mompeller.

Agradeceremos sempre à Egrem pela publicação deste e os dois próximos CDs, pois obras como a de Sindo Gary, criador de mais de 600 peças que refletem as raízes cubanas, não podemos permitir nunca que permaneçam esquecidas. Elas fazem parte do patrimônio cultural da nação cubana, patrimônio que hoje, mais do que nunca, se torna brasão e espada de nossa cultura.