ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
A Rota da Rumba começará em Regla. Foto: Yander Zamora

A nona edição do Festival Internacional Timbalaye, que terá lugar de 18 de agosto a 1º de setembro, será a primeira que comemorará a inscrição da rumba na lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. De maneira que, esta Rota da Rumba 2017 se anuncia como uma grande festa nacional que compreenderá um nutrido programa de apresentações de música e danças por toda a Ilha.

A jornada se desenvolverá em Pinar del Río, Havana, Matanzas, Cienfuegos, Trinidad, Ciego de Ávila, Camaguey, Santiago e Guantánamo e, além de comemorar o caráter patrimonial do complexo da rumba, estará dedicada ao Comandante-em-chefe Fidel Castro.

Auspiciada pelo Gabinete Regional da Cultura para a América Latina e o Caribe da Unesco, a AHS, a Uneac, o Ministério da Cultura, a Fundação Fernando Ortiz, o Conselho Nacional de Patrimônio Cultural, entre outras instituições, esta Rota da Rumba dará início na embocadura do município Regla, no dia 18 às 10h30, onde se farão reconhecimentos a mais de 30 rumbeiros, segundo explicaram em entrevista coletiva os organizadores do evento, Irma Castillo e Ulises Mora.

Por seu lado, a diretora-geral do Gabinete de Cultura para a América Latina e o Caribe da Unesco, Katherine Müller, destacou no encontro o acesso e participação que oferecerá ao povo a comemoração desta Rota. «Sentimos muito prazer em auspiciar esta edição porque a rumba cubana é uma expressão de resistência e identidade nacional», manifestou a representante.

A rumba é uma mostra de orgu-lho dos cubanos, de respeito às tradições e da riqueza de ritmos e patrimônio cultural desta Ilha. A Rota é uma via que promove a rumba como um patrimônio vivo e participativo, afirmou Müller perante a imprensa.

Além das atividades de música e danças, o programa do evento anuncia atividades em Casas de Cultura, painéis teóricos, lançamentos de livros e revistas, aulas de rumbas, cerimônias para homenagear Iemanjá, mãe universal do Panteão Ioruba, palestras sobre o projeto Timbalaye, bem como encontros com ícones da manifestação.

Entretanto, os espetáculos estarão organizados pelos melhores expoentes de cada território.

Elencos rumbeiros como Yoruba Andabo, Iyerosun, Nsila Cheche, de Havana; Obbayonko e Aye Oñi, de Pinar del Río; Obinisa Aché, Obba Ilú, Rumba Lay, de Cienfuegos; Achechuré e os Rumberitos Infantis de Trinidad; Camagua e Maraguán, de Camaguey; e Cocuyé, Cutumba e Abbureyé de Santiago de Cuba, serão alguns dos grupos que oferecerão apresentações nesta Rota que culminará em 1º de setembro, no Salão Rosa da Tropical, de Havana.

Segundo divulgaram seus organizadores, depois de encerrada esta edição, o projeto Timbalaye realizará a Rota da Rumba na Europa e na América Latina, com o objetivo «de maximizar a contribuição do turismo cultural como ferramenta eficaz para o desenvolvimento sustentável».