ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
O presidente do Instituto Cubano do Livro, Juan Rodríguez Cabrera, na inauguração do evento expressou: «Quando em muitos locais do mundo se está perdendo a esperança de leitura nos povos, nosso país acredita no papel edificante da leitura». Foto: Juvenal Balán

AO ritmo das batucadas tradicionais asiáticas foi inaugurada oficialmente, em 1º de fevereiro, na fortaleza de San Carlos de La Cabaña, em Havana, a 27ª Feira Internacional do Livro 2018, dedicada à República Popular da China, país Convidado de Honra.

O ato foi presidido pelo primeiro vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros e membro do Bureau Político, Miguel Díaz-Canel Bermúdez; o presidente da Assembleia Nacional do Poder Popular, Esteban Lazo Hernández e o ministro da Cultura, Abel Prieto Jiménez. Pela parte chinesa marcaram presença Zhou Huilin, vice-ministro da Administração Estatal da Imprensa, Publicação, Rádio, Cinema e Televisão da China e vice-ministro da Administração Nacional de Direito de Autor, da Administração da China, e Chen Xi, embaixador da China em Cuba, e outros políticos e intelectuais.

Um material audiovisual apresentado ao auditório e denominado «Eusebio, leal e esplêndido» mostrou certeiras declarações de personalidades que destacam o extraordinário trabalho do Historiador, bem como seus valores humanos, além de serem mostrados critérios pessoais dele acerca de seu desempenho.

Zhou Huilin significou a honra que significa poder representar a delegação da China e desejou total sucesso à Feira, ao passo que agradeceu o convite. Destacou, também, que o evento constitui a troca editorial de maior nível para os países latino-americanos.

Cada ano a Feira do Livro se torna um sucesso cultural que atrai multidões. Foto: Juvenal Balán

«Quando em muitos locais do mundo se está perdendo a esperança de leitura nos povos, nosso país acredita no papel edificante da leitura», expressou o presidente do Instituto Cubano do Livro, Juan Rodríguez Cabrera, durante a inauguração do evento.

Em suas palavras lembrou o Comandante-em-chefe Fidel Castro, leitor incansável, que sonhou esta Feira e «a tornou tão grande como é hoje».