ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Projeto Comunitário Imagem 3, de Cecilio Avilés. Foto: Dunia Álvarez Palacios

O Ministério da Cultura concentrou muito bem sua estratégia de trabalho para o ano que acaba de começar. Como parte do amálgama de projetos, ações e empreendimentos em que o país está engajado por meio do exercício do Governo, o ramo da cultura lidera suas prioridades no aperfeiçoamento dos Programas de Desenvolvimento Cultural em todos os níveis.

Um lugar especial ocupa neste conjunto de prioridades o diálogo permanente com os criadores e sua relação com a Política Cultural da Revolução, em defesa da identidade e da soberania contra o modelo colonizador imperialista, bem como o fortalecimento da composição e o funcionamento dos Conselhos Técnico-Artísticos em diferentes níveis, com criadores da vanguarda e especialistas de prestígio.

Também se pretende melhorar a instrumentação da política de financiamento dos criadores para a realização de projetos culturais e implementar ações para ajudar a desenvolver uma crítica cultural que permita a orientação dos públicos, o feedback dos processos de criação e que tribute ao aperfeiçoamento do trabalho institucional.

Com relação à programação cultural, trabalhamos para elevar sua qualidade levando em conta as hierarquias artísticas e garantindo a participação dos criadores em sua concepção e execução. Entre as urgências também tem a aprovação e aplicação do padrão legal que tem que atualizar a metodologia da programação cultural. Há também iniciativas que oferecem espaços para artistas locais, bem como a regulamentação adequada da administração dos financiamentos de contratações artísticas em instituições estatais e não estatais e a solução de inadimplência acumulada ao setor artístico, de maneira que não se acumulem novas dívidas.

Um árduo acompanhamento aos acordos derivados da Primeira Conferência do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Cultura e do Terceiro Congresso da Associação Hermanos Saiz será realizada neste ano pelos funcionários do Ministério e todo o suporte será oferecido para a celebração do 4º Congresso da Uneac.

Outra prioridade aponta para a implementação do Decreto para a Proteção da Cultura nos Espaços Públicos e a cuidadosa revisão dos catálogos profissionais de música e artes cênicas em todo o país.

Conscientes de que o trabalho cultural das comunidades precisa de atenção diferenciada, o Mincult projeta seu trabalho em promover, em parceria com a CTC, a FEU, a FEEM e a OPJM, a revitalização do movimento dos artistas amadores e seus festivais.

As ações também visam conceber e articular uma estratégia abrangente para a projeção internacional da cultura cubana, bem como uma plataforma de cooperação internacional e investimento estrangeiro. É necessário, considerar, desenvolver um programa específico para aumentar continuamente os níveis de exportação de bens e serviços culturais e substituir as importações.

O Mincult incluiu entre as suas prioridades neste 2019 acompanhar eventos de grande projeção internacional e a 4ª Conferência Internacional Pelo Equilíbrio do Mundo, a 28ª Feira Internacional do Livro, a Feira Cubadisco, o Festival das Romarias de Maio, o Festival do Caribe, o Festival da Cubanidade, o Festival Internacional do Novo Cinema Latino-americano, o Festival Internacional de Balé de Havana e a 13ª Bienal de Havana, só por citar alguns, bem como o fortalecimento da Rede de Intelectuais, Artistas e Movimentos Sociais em Defesa da Humanidade.

A atualização dos planos e programas de estudo da educação artística em seus três níveis e a presença da vanguarda artística nos claustros em todo o país, bem como o aumento permanente da qualidade na seleção dos alunos e no melhoramento da base material de estudo desses centros são pontos para os quais a instituição da cultura também focaliza seu trabalho.

PRIORIDADES

O Programa da Memória Histórica e os processos de gestão do patrimônio tangível e intangível é outra das questões de atenção, bem como a proteção dos bens culturais, monumentos nacionais, locais e zonas de proteção, para o qual a base legal é atualizada.

A proposta de um esquema eficiente de distribuição e comercialização do livro em Cuba e a intensificação das ações em favor do Programa Nacional pela Leitura são também elementos que compõem a lista de prioridades.

De grande importância é a conciliação entre o Ministério do Turismo e o Ministério da Cultura para que nas instituições turísticas esteja presente o Mincult, de maneira que gerem cadeias produtivas, conforme à política cultural. A revitalização do funcionamento da Comissão Cultura-Turismo e o desenvolvimento da gestão e o posicionamento da agência Paradiso como o principal receptivo de todos os eventos e ações culturais internacionais, também é um elemento fortemente assumido neste ano pelo Ministério.

Outro aspecto aponta para a informatização dos processos culturais, com ênfase nos serviços prestados à população, na produção de aplicativos computacionais e na interação com diferentes públicos, que devem ser progressivamente ampliados, assim como a presença do sistema institucional na Internet, sites institucionais, publicações digitais e uma presença muito mais ativa nas redes sociais.

O Ministério pretende avaliar com todos os territórios o programa de investimentos e manutenção 2020-2030 e estabelecer calendários comuns para sua execução e controle, e cumprir com o Plano de Investimentos para 2019, de maneira que tenham especial atenção a reparação e reabertura de casas da Cultura, cinemas, teatros, bibliotecas, livrarias e outras instituições de serviço público.

O 500º aniversário da capital, com cuja comemoração o Mincult tem ligado um plano de trabalho que inclui, entre outros, a conclusão da instalação comercial do Fundo Cubano de Bens Culturais, localizado na Avenida Línea e rua 18; a Casa da Música de Galiano, os estúdios Abdala, o Centro Cultural do Cerro, a primeira etapa do Corredor Cultural da Rua Línea e as ações previstas para o Museu das Belas Artes e Hemingway, o ISA e as Escolas Nacionais de Arte, exige do Ministério um maior apoio.

Instalações Culturais

(No fechamento de 2017)        

                                                 Em

                                 Número   serviço  Fechadas

Cinemas 35 mm     365       240            125

Salas de vídeo        439       340              99

Bibliotecas            397        388               9

Livrarias               327        322               5

Teatros                  37         30               7

Museus                 274        229             45

Casas da Cultura    352        337             15

Galerias de Arte    137         131              6

Casas da Trova        10          10              0

Escolas de Arte        38          38              0

Fonte: Informação oferecida pelo ministro da Cultura, Alpidio Alonso, na Assembleia Nacional