ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Archivo

A diretora geral da Unesco, Audrey Azoulay, concedeu o Prêmio Internacional José Martí ao destacado intelectual cubano Roberto Fernández Retamar, segundo foi informado na segunda-feira, 21 de janeiro, em Paris, sede desta organização das Nações Unidas.

Por proposta de um júri internacional, o prêmio foi concedido a Fernández Retamar, uma das mais prestigiosas vozes de letras cubanas, de profunda vocação e convicção martianas, disse um comunicado diplomático, citado pela Prensa Latina.

«Presidente da Casas das Américas durante quatro décadas, Fernández Retamar contribuiu permanentemente, deste prestigioso centro, para a promoção da paz, solidariedade, direitos humanos e igualdade entre as nações da América Latina e o Caribe, valores reconhecidos por este prêmio», indica o texto.

O destacado ensaísta tem uma história de excelência no campo cultural e dedicou considerável parte de seu trabalho ao estudo, ensino e difusão dos valores e ideais do apóstolo José Martí.

Segundo o júri, a decisão reconhece o trabalho do intelectual cubano «de defender a justiça, a proteção das crianças, o desenvolvimento ético dos povos, o reconhecimento da dignidade de cada homem e mulher e a importância do combate ao racismo».

O Prêmio Unesco-José Martí foi instituído pelo Conselho Executivo, por iniciativa de Cuba, em novembro de 1994, o que implicou o reconhecimento da universalidade e validade dos ideais do Herói Nacional Cubano.

O prêmio visa promover e recompensar uma atividade particularmente digna que, de acordo com a ideologia e o espírito de José Martí, tenha contribuído para a unidade e integração dos países da América Latina e do Caribe, bem como para a promoção de uma cultura de a paz e a coesão dos países.

A cerimônia de premiação será realizada por ocasião da 4ª Conferência Internacional para o Equilíbrio do Mundo, programada de 28 a 31 de janeiro no Palácio das Convenções, em Havana.

O programa científico do evento inclui vários temas de especial impacto no mandato da Unesco, entre os quais se destacam o diálogo intercultural, a paz, o acesso à educação e à cultura e para o exercício dos direitos humanos, a solidariedade e a solidariedade e a integração na América Latina e no Caribe.