ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

Uma verdadeira façanha. É a única forma de qualificar o realizado pela equipe dos Alazanes ao vencer duas vezes aos campeões de Ciego de Ávila e conquistar pela primeira vez em 40 anos de história o título de campeão do 56º Campeonato Nacional de Beisebol

Poucas vezes é visto um time com tanto ímpeto como esse de Granma. Primeiro venceu duas vezes ao favorito de Matanzas no estádio Victoria de Girón depois de ter perdido muitas vezes o decisivo quinto jogo. Depois — outra vez com os prognósticos contra —, viajaram até o estádio José Ramón Cepero para ganhar dois jogos decididos por uma corrida e já no estádio Mártires de Barbados, em Bayamo, conseguir um placar de 10-1 para esquentar a final.

No domingo 22, souberam rematar 3-2 com o placar contra. O arremessador canhoto Leandro Martínez não cumpriu totalmente seu cometido, pois depois de não permitir corridas nas três primeras entradas, cedeu par de corridas no quarto inning impulsionadas por Osvaldo Vázquez e Rubén Valdés. Carlos Martí, o diretor campeão, enviou ao revezamento ao arremessador direito César García, autor de um excelente substituto de quatro innings sem permitir corridas. E para fechar chegou Miguel Lahera, mais uma vez efetivo neste campeonato, capaz de manter uma vantagem mínima até a nona entrada, permitindo um hit e dando strike-out a dois sem permitir walks.

O time Granma empatou o placar duas corridas no inning da sorte por um erro do recém-chegado à inicial Eliécer Griñan em uma tacada de Guillermo Avilés, sacrifício de Frank Camilo Morejón, um wild e simples de Yoelkis Céspedes ao jardim direito. A da vitória, uma entrada mais tarde, sem rebater de hit, por transferências a Despaigne, Dennis Laza e Carlos Benítez e tacada de Avilés ao jardim esquerdo.

PONTOS POR ENTRADAS

M. DE BARBADOS

C

H

E

CAV

000 200 000

2

7

1

GRA

000 100 11X

3

4

0

G: César García (6-2). P: José Ángel García (3-3). Js: Miguel Lahera (11).