ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Osleni Guerrero melhorará da 170ª colocação onde se encontra dentro do ranking mundial. Photo: Ricardo López Hevia

A coroa ficou em casa, depois de que o cubano Osleni Guerrero obtivesse, em 26 de março, pela sexta vez o título individual do torneio internacional de badminton «Giraldilla de La Habana», após vencer o italiano Rosario Maddaloni, número um do evento, 2-0, com placar duplo de 21-15.

Ambos os jogadores expuseram uma partida tática, sem a presença de muitos erros não forçados. Guerrero buscou bater o volante com colocação perto da rede, enquanto Maddaloni gostou de mexer seu oponente ao fundo da quadra e provocar, infrutuosamente, seu esgotamento. Se bem o partido foi nivelado, para o final dos dois sets o cubano teve atuação implacável em prol da vitória, tirando uma vantagem considerável em seu caminho à primeira colocação.

«No começo senti insegurança já que este foi meu quarto partido em sete meses, mas na segunda metade de cada set entrei em ritmo, ganhei maior confiança e consegui precisão no remate para superar a Maddaloni», sentenciou Guerrero, que se leva também os 2.500 pontos tão necessários para escalar degraus no ranking mundial e deixar atrás a 170ª colocação que ocupa atualmente.

A húngara Laura Sarosi arrasou com suas rivais em todo o certame. Photo: Ricardo López Hevia

Entre as mulheres, a medalha de ouro foi para a super favorita húngara Laura Sarosi, vitimária pelo ouro da mexicana Mariana Ugalde por placar de 2-0 e parciais de 21-19 e 21-15. A europeia mostrou em todo o certame um jogo por cima de suas rivais. Na partida decisiva na Cidade Esportiva, Sarosi levou a iniciativa quase sempre no ataque, dominando o jogo desde o fundo e na parte dianteira da quadra, apesar da ferrenha resistência da asteca, que lutou cada ponto com tenacidade.

Minutos depois de sua vitória no single Osleni Guerrero se aliou com Leodannis Martínez para capturar o cetro na modalidade de duplos, ao submeter aos italianos Lukas Osele-Kevin Strobl 2-1 (21-11, 22-24 e 21-8). O próprio Osleni confessou após a vitória que leva pouco tempo com Leodannis como dupla. Contudo, disse, o trabalho nos treinos flui bem e esperam acoplar melhor rumo aos Jogos Centro-americanos e do Caribe de 2018, na cidade colombiana de Barranquilla.

Se Laura Sarosi e Mariana Ugalde lutaram a morte em seu duelo particular, em duplas femininas juntaram forças e qualidade para vencer com soltura às italianas Silvia Garino-Lisa Iversen por placar de 2-0 (21-15 e 21-17)

Em duplas mistas o máximo sorriso foi para o casal de badmintonistas cubanos que integram Leodannis Martínez-Tahimara Oropesa, triunfadores no compromisso de fundo perante os guatemaltecos Jonathan Solís-Mariana Paiz, 2-0 (21-2 e 21-13).