ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
O representante de Camaguey Damián Arce (49 quilos) esqueceu-se da pressão da estreia e venceu indubitavelmente, por 3-0, o colombiano Julián Velázquez. Foto: Ricardo López Hevia

QUESTÃO de tempo foi a sessão de inauguração da 8ª World Series of Boxing (por sua sigla em inglês: Serie Mundial de Boxe), que em 2 de fevereiro teve lugar em Havana, quando o time Domadores de Cuba venceu facilmente, por cinco vitórias a zero, o Heroicos da Colômbia.

Foi custoso para os colombianos a estreia na Cidade Esportiva, pois trouxeram uma equipe de boxeadores inexperientes, para lidar com rivais experientes. A maior atração era testar o desempenho do representante nos 49 quilos, Damián Arce, natural de Camaguey, contra Julián Velázquez, em sua estreia nesta lide, mas esquecendo a pressão conseguiu vencer a seu rival por 3-0.

«O combate foi fácil, mas não devia concluir rapidamente, já que os treinadores me ordenaram boxear os cinco rounds, para adaptar-me ao ritmo de luta, e por isso que por ocasiões me notaram mais reservado», disse Arce.

As restantes categorias tinham o nome e sobrenome dos vencedores: Robeisy Ramírez (56 quilos) e Andy Cruz (64 quilos), por unanimidade do júri; entretanto Arlen López (75 quilos) e Erislandy Savón (91 quilos) venceram por abandono de seus rivais.

O peso-galo Ramírez não deixou possibilidades ao seu rival Jhon Martínez e o venceu por 3-0. Ele usou a efetividade de seus punhos que fez levantar das arquibancadas, em várias oportunidades, os fãs que assistiram ao coliseu da capital.

O experiente Erislandy Savón (91 quilos) venceu por abandono, no terceiro assalto, seu contrário Julio César Calimeño. Foto: Ricardo López Hevia

O combate de Andy Cruz não mudou respeito aos dois primeiros. O representante de Matanzas, da longa distância, aproveitou a passividade e pouca defesa mostrada por seu contrário Andrés García, para assegurar o triunfo dos Domadores.

O meio-pesado Arlen López não precisou lutar muito, pois os treinadores do colombiano Juan Ortiz pararam o combate, no primeiro round, devido à superioridade mostrada pelo pugilista, natural de Guantánamo.

No último combate, Erislandy Savón (91 quilos) superou indubitavelmente Julio César Calimeño, por abandono no terceiro assalto.