ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Uma vista panorâmica da superfície de aquecimento prestes a abrir. Foto: Ariel Cecilio Alvarez de la Campa

ALGUNS não nasceram e outros mal conservam em suas memórias o dia 2 de agosto de 1991, quando Javier Sotomayor acendeu o caldeirão que deixou inaugurados os 11os Jogos Pan-americanos. Naquele dia, mais de 34.000 cubanos, liderados pelo Comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz, reuniram-se no recém-inaugurado Estádio Panamericano para transformar Havana na capital esportiva da América.

Para Cuba, esse evento, em Havana 1991, foram os melhores Jogos Pan-Americanos de todos os tempos. Aquela primeira colocação histórica por países, deixando para trás a poderosa delegação dos EUA, catapultou a Ilha maior das Antilhas para o topo do esporte no continente.

No entanto, a instalação, que serviu de palco para as cerimônias de abertura e encerramento daquele evento continental, não está passando por seu melhor momento, 27 anos após sua inauguração. É notável a deterioração, tanto nas áreas externas como nos interiores, a falta de manutenção fez com que todos os fatores naturais que atentam contra o estádio, passassem impiedosamente a conta ao local.

Ter construído o estádio perto do mar aumentou sua deterioração, embora mais construções sejam erguidas perto da costa todos os dias. Em outras regiões do Caribe, como Trinidad e Tobago, por exemplo, o estádio olímpico fica muito próximo do mar, mas semanalmente é regado com uma substância especial para protegê-lo.

Após a reparação do ano de 2008, quando a pista da competição foi alterada, muito pouco foi feito no estádio Panamericano.

No entanto, a renovação está começando a ser palpável. As duas pistas (a principal e a de aquecimento) foram desmontadas para sua substituição e estão sendo realizados trabalhos de reorganização de diversas áreas próximas ao centro, que recebem o benefício de uma reparação total.

DO LUGAR

Para saber sobre o estado do trabalho e as projeções das tarefas de construção que são realizadas na sede do atletismo cubano, o Granma Internacional se deslocou até lá, com a intenção de indagar sobre os detalhes.

Especialistas chineses finalizam detalhes da pista de aquecimento. Foto: Ariel Cecilio Alvarez de la Campa

A pessoa encarregada de supervisionar o processo, em nome da Federação Cubana, Hanoi Martínez, explicou que a pista de aquecimento já está montada e será inaugurada no dia 23 deste mês. «O material utilizado foi uma mistura que deriva em rekortan, que é usado nos melhores estádios do mundo. A superfície tem como característica peculiar que possui apenas seis pistas, dois locais para saltos, área de arremessos e terá os colchões para salto em altura e salto com vara. As distâncias são as mesmas usadas nas competições oficiais», acrescentou.

A construção de três guaritas em diferentes pontos também é um objetivo, com o propósito de impedir a entrada de pessoal de fora do centro, e também é planejado cercar completamente a área. Quanto à iluminação, já estava previsto que para o dia da abertura a pista tenha luzes próprias.

O acordo com uma empresa chinesa especializada nesse tipo de trabalho ajudou a garantir que a qualidade do trabalho fosse de altos quilates. A equipe de repórteres teve a oportunidade de conversar com um dos trabalhadores asiáticos presentes no trabalho e disse que ele tem sete anos de experiência nessas tarefas. Seu trabalho em Cuba foi muito satisfatório e ele espera voltar se necessário.

Martinez destacou que os detalhes restantes a serem feitos são de responsabilidade do pessoal cubano que trabalha lá, pois somente restam os trabalhos de manutenção, coleta de detritos e embelezamento da área.

OUTROS DETALHES

Miguel Acosta, diretor da Escola Superior de Treinamento de Atletas de Alto Desempenho Giraldo Córdova Cardín, falou sobre as projeções planejadas para a instalação, no próximo ano.

Conforme explicado, a pista de aquecimento será o local para a preparação dos atletas, com a finalidade de preservar a principal, que será utilizada para os eventos mais importantes de Cuba.

Em 2008, a pista de competições foi feita praticamente de novo por uma empresa italiana chamada Mondo, tal como é nomeado o material usado nessas superfícies. Precisamente esta entidade será responsável pela instalação do novo material, de cor azul, igual ao anterior, e se espera a homologação da pista por parte da Associação Internacional de Atletismo (IAAF). Os materiais para realizar este procedimento já estão na Ilha e se prevê iniciar sua montagem em janeiro de 2019.

«Apesar da proximidade com o mar, o nitrato e as mudanças climáticas, o estádio permaneceu em pé», disse Acosta, que também falou sobre a reestruturação da instalação. Ele se referiu à academia ginástica, inaugurada em 13 de agosto pelo presidente dos Conselhos de Estado e Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez. O lobby do estádio também foi melhorado, assim como a área de Medicina Esportiva.

«Está previsto para o próximo ano, em comemoração aos 500 anos de Havana, aplicar ao estádio uma pintura de excelente qualidade, que dura bastante tempo. O Inder implementou vários projetos este ano com o objetivo de melhorar as condições de treinamento e de vida de nossos atletas, estamos muito felizes com o que aconteceu em 2018 e otimistas quanto às coisas boas que estão por vir».

A inauguração da pista de aquecimento, em 23 de dezembro, é apenas o primeiro passo para recuperar a casa do atletismo cubano. Resgatar os quadros eletrônicos, os sistemas de áudio e iluminação, lanchonetes, banheiros, armários e instalações para o trabalho da imprensa, tudo isso é essencial para voltar a ter uma instalação capaz de acolher eventos de grande magnitude.