ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
O atletismo deve conquistar um número considerável de medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Foto: IAAF

O novo ano é uma oportunidade para celebrar os sucessos do que concluiu e preparar-se para os desafios imediatos.

Todo mês de janeiro é visto no imaginário popular como a ocasião para se comprometer em atingir uma melhoria nos mais diversos aspectos da vida pessoal e social.

É por isso que, para 2019, os atletas cubanos assumirão vários objetivos elevados em sua atividade, levando em conta que os níveis das competições internacionais estão em constante crescimento e a vitória, em cenários novos e complexos, exige maior sacrifício.

A LIÇÃO DE TORONTO

Um dos eventos mais esperados são os Jogos Pan-Americanos de Lima, de 26 de julho a 11 de agosto.

No evento multiesportivo, Antonio Becali, presidente do Instituto Nacional dos Esportes, Educação Física e Recreação (Inder), disse recentemente ao Granma Internacional que «o objetivo é superar o desempenho de quatro anos atrás em Toronto, quando alcançamos 36 medalhas de ouro», em um clássico onde cada vez mais países do continente conseguem melhores resultados.

A preparação para a próxima lide da capital peruana exige levar em conta o que aconteceu em Toronto 2015, quando vários fatores se juntaram, que minaram as aspirações de ocupar um dos primeiros patamares da competição e o país acabou na quarta colocação. O fato de não participar de 133 das 364 provas programadas obrigou a atingir a máxima eficiência nas restantes disciplinas, algo que também não foi alcançado.

Sabendo que os Estados Unidos, o Canadá e o Brasil eram os rivais mais importantes (os canadenses aproveitaram as oportunidades que outros países em disputa deixaram livres), os cubanos, que participaram de um considerável número de finais, só venceram em 36% delas, justamente nos dias decisivos do encerramento dos Jogos Pan-Americanos, depois que nos primeiros dias os atletas valorizados para alcançar medalhas de prata haviam subido com medalhas de ouro.

Outro dos elementos que esteve presente em Toronto certamente tem que ser repetido neste 2019, e de maneira crescente. Nações como o Brasil trouxeram para o Canadá uma delegação muito bem preparada, que incluía um número considerável de atletas e treinadores nacionalizados. Esse fenômeno, longe de parar, cresce exatamente como a comercialização, e não é estranho ver, como tem sido apreciado em diferentes torneios, tenistas de ascendência asiática defendendo países da América Latina.

Lembre-se que os brasileiros ajustaram suas máquinas esportivas porque em 2016 eles receberiam os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, razão pela qual a luta em solo canadense tornou-se o melhor cenário para se fazer precisões. Agora, para os atletas do nosso continente, como sempre acontece nos ciclos olímpicos, todos buscarão seu melhor desempenho em Lima, no ano anterior aos Jogos de Tóquio 2020.

Até agora, Cuba classificou 337 atletas de 22 disciplinas para os próximos Jogos Pan-americanos, quando ainda há vários torneios classificatórios em que o número de membros de sua delegação deve aumentar, já que atletismo, badminton, caratê, velas e mergu-lhos contam entre aqueles que irão definir seus ingressos nos próximos meses.

Além das competições pré-pan-americanas que oferecerão vagas para Lima 2019, outros eventos nacionais e internacionais baseados em Cuba e no exterior homenagearão a preparação de nossos atletas e delinearão o possível elenco, como aconteceu com o recém-concluído torneio de boxe Playa Girón, realizado em Camaguey, onde todos os estabelecidos e as novas promessas lutam por obter um lugar na seleção estelar elevaram.

OUTRAS NOMEAÇÕES

Além de que os compromissos de alta performance têm como objetivo alcançar a melhor forma esportiva para os Jogos Pan-Americanos, outro dos eventos relevantes em que nossa nação será representada será o Campeonato Mundial de Atletismo em Doha, no Catar.

Nesta competição, programada entre 27 de setembro e 6 de outubro, a Ilha terá a oportunidade de levar valores como o saltador Juan Miguel Echevarría, Yaimé Pérez no disco e a saltadora com vara Yarisley Silva, além do campeão olímpico juvenil de salto triplo, Jordan Díaz

Não pretendemos fazer referência a todos os torneios de alta classe no atual ano 2019. Vamos especificar que o boxe, um esporte estratégico para o movimento esportivo da Ilha, tem dois eventos relevantes. Os boxeadores participarão da World Series e do Campeonato Mundial, este último programado para ser realizado na cidade russa de Sochi. Ambos estão com data pendente.

O beisebol vai chamar a atenção de milhares de seus seguidores quando os de casa participarem da Caribbean Series, no início de fevereiro próximo, na Venezuela. O vencedor do atual Campeonato Nacional (o time Las Tunas) lutará lá para alcançar a coroa para Cuba.

Também de grande interesse para o país será o Campeonato Mundial de Judô, com sede no Japão, na última semana de agosto. Os japoneses mostraram seu grande domínio no Campeonato Mundial de Baku, em 2018, onde conquistaram sete medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

A luta, de considerável contribuição para as medalhas cubanas em diferentes torneios, terá o seu habitual Campeonato Mundial na cidade cazaque de Astana, em setembro próximo. Os olhos dos amantes deste esporte serão fixados em Oscar Pino, Yowlis Bonne e Lianna Montero, entre outros. Além disso, teremos que seguir o Mijaín López de Pinar del Rio, para quem este ano será vital em sua preparação para os Jogos Olímpicos de 2020, onde caso ganhar o ouro, seria o primeiro a obter quatro medalhas em um esporte de combate no mundo.

Esta disciplina também terá o habitual Torneio Cerro Pelado-Granma, que reunirá os melhores competidores do campo, em disputa com os participantes estrangeiros.

Os desafios estão estabelecidos e confiamos que nossos atletas chegarão o mais alto possível.

Principais torneios internacionais em Cuba

- Torneio Capablanca de Xadrez, de 8 a 20 de maio.

- World Series Boxing (várias datas do ano).

- Copa Ibero-americana de Triatlo, de 22 a 25 de fevereiro.

- Torneio Cerro Pelado-Granma de Luta, de 15 a 23 de fevereiro.

- Copa Marcelo Salado de esportes aquáticos e mergulho (cccam), de 18 a 31 de março.

- Copa do Mundo de Espada, 11-13 de janeiro.

- Copa Pan-Americana de Tênis de Mesa, de 6 a 10 de junho.

- Memorial Barrientos de Atletismo, 5-10 de junho.

- Giraldilla de la Habana de Badminton, 13-17 de março.

- Giraldo Córdova Cardín de Boxe, 3-9 de junho.

- Tour Norceca de Vôlei de Praia, de 22 a 27 de maio.

- Maratona Marabana, 17 de novembro.

- Meia Maratona Varadero, de 30 de março a 1º. de abril.

Principais competições nacionais

- 55os Jogos Esportivos Escolares Nacionais, junho-julho.

- 59º Campeonato Nacional de Beisebol, de 5 de agosto a 10 de outubro (1ª etapa) e de 27 de outubro a 25 de dezembro (2ª etapa).

- Torneio Playa Girón de Boxe, de 17 a 23 de dezembro.

- Serie Nacional de Boxe, sem data ainda.

- Torneio Nacional de Ascensão e Liga Superior de Basquete.

- Liga Nacional de Futebol, de 19 de janeiro a 24 de abril.

- Circuito Nacional de Rota (Ciclismo), de 19 de fevereiro a 3 de março.

- Festival Paraolímpico, de 10 a 14 de novembro.