ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

ENTRE os levantadores de pesos já estabelecidos e conhecidos pelos amantes desse esporte em nosso país, como são os casos de Luís Manuel Lauret, Olfides Sáez e Marina Rodríguez, aparecem na lista de oito levantadores que vão viajar a Lima vários nomes de jovens atletas, os que viverão em terras peruanas a competição mais importante de sua carreira esportiva até agora. Entre eles está Arley Calderón, 20 anos, de Pinar del Rio, que assumiu a divisão de 61 kg.

Como foi sua entrada para a seleção?

«Há três anos cheguei à escola nacional, anteriormente estive na Escola de Iniciação Esportiva (EIDE), de Pinar del Río, onde fui várias vezes campeão nacional. Já aqui mantive esses resultados e obtive medalhas em diversos eventos internacionais. Este ano ganhei a medalha de bronze no torneio pan-americano dessa disciplina, realizado na Guatemala, foi um evento muito bom na minha carreira, pois consegui melhorar todas as minhas marcas, com 119 kg de arranco, 150 no arremesso e 267 no biatlo».

Lima será a competição mais importante na sua carreira?

«Em Lima serão meus primeiros Jogos Pan-americanos e um dos eventos mais fortes dos quais participei. A preparação foi ótima, nossos treinadores se esforçaram para alcançar os melhores resultados durante o evento. Se conseguisse obter uma medalha, seria um sonho tornado realidade, mas quebrar minhas marcas pessoais é meu objetivo principal. Nossa área é uma das mais fortes do mundo, com grandes potências como os Estados Unidos e a Colômbia. O compromisso é difícil, mas sempre serei meu principal rival».

Quão difícil é a vida de um atleta de alto rendimento neste esporte?

«É muito complicada, quase todos os dias há treinamento duplo, ainda mais se um evento de tamanha importância está chegando. Nós praticamente não temos uma vida social, nós coexistimos entre nós. O domingo é o nosso único dia de descanso e devemos recuperar nossas energias».

O Levantamento de Pesos está no programa dos Jogos Pan-americanos desde a primeira edição, realizada em Buenos Aires, na Argentina, em 1951. Cuba ocupa a primeira colocação histórica desta disciplina nesses certames, com 67 medalhas de ouro, 22 de prata e nove de bronze, seguidos pelos Estados Unidos (48-28-23).

Em Toronto 2015, uma colheita de dois metais de ouro foi alcançada, o mesmo número de segundos lugares e um terceiro, resultados que levaram Cuba à terceira colocação das nações. Neste ano, apenas o biatlo será premiado em Lima e as previsões para os levantadores de peso cubanos são bastante discretas. No entanto, o mais importante é obter as melhores marcas possíveis de nossos levantadores de peso, uma nova geração em ascensão.