ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Os participantes da reunião avançaram em sete declarações especiais, uam delas contra o bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos contra Cuba. Photo: Cubaminrex

Bávaro, República Dominicana.— Os coordenadores nacionais dos países da Celac concluíram na segunda-feira, dia 23, os trabalhos com os documentos a serem adotados na 5ª Cúpula do bloco, que terá sessões hoje e amanhã nesta localidade do oriente dominicano.

Desde o dia 21, representantes das 33 nações da Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) analisaram uma declaração política e 20 declarações especiais, a qual passarão aos chanceleres que terão seu segmento nesta terça-feira.

Os participantes da reunião avançaram em sete declarações especiais; uma delas, contra o bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos contra Cuba, disse à Prensa Latina o vice-chanceler da Ilha, Abelardo Moreno.

O também coordenador de seu país para o organismo mencionou que outro desses textos pede a devolução a Cuba do território ocupado pela base naval dos Estados Unidos em Guantánamo, conforme com o pedido reiteradamente pelo povo e governo da nação caribenha.

Além disso, estamos trabalhando em declarações sobre o desarmamento nuclear, recursos financeiros para o desenvolvimento, igualdade de gênero, uma série de aspectos que constituem prioridades também do mecanismo de diálogo e concertação política, acrescentou.

Na terça-feira, dia 24, será realizado o Encontro de Chanceleres, prévio ao encontro dos presidentes, para o qual confirmaram a assistência presidentes de mais de dez países, entre eles Venezuela, Bolívia, México, Chile e Equador.

Nessa última jornada, a República Dominicana transpassará a El Salvador a presidência pro tempore do mecanismo constituído em Caracas, Venezuela, em dezembro de 2011.

O chanceler dominicano, Miguel Vargas, assegurou que tudo está pronto para a Cúpula e mostrou-se otimista em relação aos resultados.

A Celac, que reúne todas as nações do continente americano, exceto os Estados Unidos e o Canadá, teve sua primeira reunião presidencial no Chile em 2013, a segunda em Cuba (2014), a terceira na Costa Rica (2015) e a quarta no Equador (2016).