ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: El Tiempo

LIMA.— Líderes mundiais solidarizaram-se e enviaram suas condolências ao povo peruano e ao seu presidente Pedro Pablo Kuczynski por causa dos danos humanos e materiais que sofre essa nação sul-americana devido aos desastres naturais.

O presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros de Cuba, general-de-exército Raúl Castro Ruz, enviou uma mensagem de condolências, difundida em 20 de março, na capital peruana e citado pela Prensa Latina.

«Soube dos danos humanos e materiais ocasionados pelas chuvas torrenciais que afetaram o Peru. Receba o senhor as sinceras condolências, que se estendem ao povo peruano e aos familiares das vítimas», expressou, segundo a PL.

A embaixada de Cuba no Peru comunicou à chancelaria peruana que «está total e permanentemente à disposição do governo da República do Peru para atender e tramitar de imediato qualquer solicitação de ajuda» perante os desastres causados pelas chuvas.

Por sua parte, a chanceler venezuelana Delcy Rodríguez assegurou que o Governo Bolivariano coordena com as autoridades do Peru o envio de ajuda humanitária aos danificados pelas enchentes.

Dessa forma, Rodríguez cumpre o mandato do presidente Nicolás Maduro, quem em sua condição de titular pro tempore da União das Nações Sul-americanas, encomendou uma gestão da organização junto com a Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (ALBA), para socorrer os peruanos.

O presidente da Bolívia, Evo Morales, enviou uma carta ao presidente peruano: «O Estado e o povo bolivianos expressamos a vocês nossa solidariedade frente à dor e a perda de vidas humanas provocada pelos desastres naturais em diferentes regiões de sua Pátria», disse.

O papa Francisco expressou: «quero assegurar minha proximidade da querida população do Peru, duramente golpeada por devastadoras enchentes. Rezo pelas vítimas e por aqueles que participam das operações de socorro».

Durante o ano 2017 Peru tem sido vítima de fortes chuvas, as quais provocaram vazamentos dos rios, avalanchas e enchentes, com o resultado até agora de 75 falecidos, 11 desaparecidos, mais de 70 mil pessoas sem lar e mais de 300 mil afetados.

Ainda, há mais de 7.974 moradias colapsadas, 1.231 quilômetros de estradas destruídos e ao menos 19 escolas derribadas.