ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

NAÇÕES UNIDAS.– Cuba fez um apelo, em 23 de março, na Assembleia Geral da ONU a executar ações imediatas para prevenir e enfrentar os efeitos das mudanças climáticas.

«As mudanças climáticas são uma evidente ameaça global que reclama soluções urgentes, justas e equilibradas, que envolvam de forma real e efetiva todos os países do mundo», afirmou a representante permanente alterna da Ilha perante as Nações Unidas, Ana Silvia Rodríguez.

Em um foro de alto nível da Assembleia, dedicado a abordar a vinculação entre as mudanças climáticas e o desenvolvimento sustentável, a diplomata assinalou o particular impacto do fenômeno nos pequenos Estados insulares em desenvolvimento.

De acordo com Rodríguez, a condição de Cuba como arquipélago e sua situação geográfica no mar do Caribe, torna-a altamente vulnerável aos eventos associados à variabilidade climática.

«Estudos realizados pelo Instituto Nacional de Meteorologia indicam claramente que o clima de Cuba tem-se tornado mais cálido. Desde meados do século passado, a temperatura média anual tem aumentado em cerca de 0,9 grau Celsius. Somamos ao anterior o significativo incremento dos eventos de seca e recorrência de furacões intensos», precisou.

A diplomata destacou as respostas na Ilha maior das Antilhas aos impactos das mudanças climáticas, as quais são parte da vontade política das autoridades.

Nesse sentido, mencionou as pesquisas científicas e a gestão do meio ambiente, encaminhadas a identificar vulnerabilidades e reduzir riscos.

Rodríguez ratificou na Assembleia Geral o compromisso de Cuba com o Acordo Climático de Paris e afirmou que para sua implementação são necessárias vontade política e um pleno respeito ao princípio de responsabilidades comuns mas diferenciadas.