ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Reuters

HOJE, 5 de março, os países que compõem a Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América - Tratado do Comércio dos Povos (ALBA-TCP) voltarão a reunir-se novamente para denunciar as tentativas de ingerência e intervencionistas contra a região.

A reunião, que será realizada no Palácio de Miraflores, em Caracas, será presidida pelo presidente bolivariano Nicolás Maduro, e será uma plataforma para mostrar ao mundo a unidade e o apoio regional à Venezuela.

Este mecanismo de integração rejeitará vigorosamente as políticas para a América Latina e o Caribe do presidente dos EUA, Donald Trump, bem como as dos governos de direita e seus aliados na região.

Da mesma forma, a ALBA denunciará as intenções da Administração Trump de retornar à Doutrina Monroe, um instrumento norte-americano intervencionista durante séculos na América Latina.

Por outro lado, os países que compõem a organização ratificarão sua solidariedade com a Venezuela, país anfitrião do evento. O ALBA-TCP condenará a interferência inaceitável nos assuntos internos da nação bolivariana por parte de um grupo de países do hemisfério.

Também rejeitará a decisão de retirar o convite ao governo de Caracas para participar da 9ª Cúpula das Américas, que será realizada no próximo mês em Lima, Peru, uma vez que esta decisão é contrária aos propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas e à Proclamação da América Latina e do Caribe como Zona de Paz, assinada em Havana, em 2014, durante a 2ª Cúpula da Comunidade dos Estados da América Latina e do Caribe.

CHÁVEZ NO CORAÇÃO DOS POVOS

Em Cuba, o legado do Comandante Chávez também será lembrado, com a celebração de uma série de atividades convocadas pelo Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP) e a embaixada da Venezuela em Havana.

Na manhã, a Universidade de San Gerónimo acolherá um evento político-cultural sob o slogan «Semear amor na alma popular»; e ao longo da tarde, da sede do ICAP, será feito um tributo de lembrança a Chávez, e será reafirmada a solidariedade com o governo venezuelano e o povo, perante as ameaças e agressões dos Estados Unidos e da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Por sua vez, na Venezuela, os eventos começarão desde cedo do Quartel da Montanha, na paróquia 23 de Janeiro, em Caracas, onde descansam os restos mortais do Comandante. Uma reunião popular também está prevista nas proximidades da sede do governo.