ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Philip Hammond, segunda figura do governo britânico e ministro das Finanças recebeu ontem o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel. Photo: Cubaminrex

LONDRES.— Dias de intenso trabalho e resultados frutíferos caracterizaram a digressão pela Rússia e mais quatro países asiáticos que concluiu no domingo, 11 de novembro, o presidente dos Conselhos de Estado e Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, fazendo finalmente uma visita de trânsito a esta cidade, antes para voltar a Havana.

Na manhã de segunda-feira, pouco depois de sua chegada à capital do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, o chefe de Estado cubano se reuniu com Philip Hammond, segunda figura do governo britânico e ministro das Finanças, e conversaram sobre questões atuais na agenda bilateral.

No final da noite, Díaz-Canel e a delegação que o acompanharam durante a primeira turnê internacional fora da região da América Latina e do Caribe tiveram um agradável diálogo com os membros da missão do Estado cubano neste país.

Acerca do acontecido nos últimos dias, o presidente contou que nos cinco países visitados a delegação cubana recebeu calorosas boas-vindas e desenvolveu francas conversas com os principais líderes do Partido e do Governo.

Aos cubanos presentes aqui também os parabenizou pelos resultados da votação histórica que aconteceu no dia 1º de novembro nas Nações Unidas em favor da Resolução cubana condenando o injusto bloqueio econômico, comercial e financeiro ao qual o governo dos Estados Unidos submete a Ilha maior das Antilhas. Naquela vitória, assegurou-lhes, tinha muito a ver o trabalho meticuloso realizado pelo pessoal cubano em missões no exterior.

Díaz-Canel também contou sobre a pátria; do debate popular sobre o referendo constitucional atualmente realizado em bairros e centros de trabalho e estudantes; e das visitas que o Conselho de Ministros faz às províncias para procurar uma ligação mais próxima com a base.

Encontros como o realizado na segunda-feira, 12, em Londres, têm sido uma prática comum nas atividades do presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros durante a viagewçm recém-concluída; uma maneira de trocar com os cubanos que estão nos países visitados e, além de explicar questões relacionadas às notícias nacionais, saber como vivem e trabalham fora do país.