ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Os novos titulares da presidência e vice-presidência da República serão eleitos para o período que se inicia em 1º de junho de 2019 até 30 de maio de 2024. Foto: EL NUEVO DIARIO

AS eleições presidenciais em El Salvador, a serem realizadas no domingo 3 de fevereiro de 2019, serão as oitavas de seu tipo, desde a promulgação da Constituição da República de 1983 e as sextas desde a assinatura dos Acordos de Paz de 1992. Nesse processo, os novos detentores da presidência e vice-presidência da República serão eleitos para o período que se inicia no dia 1º de junho de 2019 a 30 de maio de 2024.

A Frente Farabundo Marti para a Libertação Nacional (FMLN) espera vencer novamente a presidência com Hugo Martínez Bonilla, que anteriormente ocupava o cargo de ministro das Relações Exteriores e chanceler da República.

Carlos Calleja é o candidato presidencial da Aliança Republicana Nacionalista (Arena), o partido ultra-direitista que governou o país por quatro mandatos consecutivos. Arena é responsável pela tortura, morte e desaparecimento de milhares de salvadorenhos.

Nayib Bukele é o candidato da Grande Aliança pela Unidade Nacional (GANA). Iniciou sua carreira política na FMLN, da qual foi expulso em 2017. Então criou seu próprio grupo, chamado Novas Ideias. Em 2018, tentou formar uma coalizão com o partido de centro-esquerda Cambio Democrático até se juntar ao GANA de direita, uma formação fundada em 2010, como resultado de uma separação na Arena.

O recém-formado partido Vamos escolheu seu secretário-geral, Josué Alvarado, como seu primeiro candidato à presidência na história.

A última pesquisa da empresa Cid Gallup sobre a intenção de votar nas próximas eleições presidenciais em El Salvador foi recentemente apresentada. Os resultados dão Nayib Bukele, candidato do GANA, como o favorito com 57%, muito à frente do próximo candidato, Carlos Calleja, do Arena, que obteve 31% dos votos. Em terceiro lugar aparece Hugo Martínez, candidato da FMLN, com 11% de intenção de voto.

Na reta final da campanha para a presidência de El Salvador, a empresa de Marketing e Tendências apresenta Carlos Calleja com 27% da preferência dos eleitores, seguido por Najib Bukele 21%, Hugo Martínez 10% e Josue Alvarado com 3%, enquanto ainda há 22% de eleitores indecisos, que não sabem em quem votarão, e 13% não votarão em nenhum candidato.

O candidato do Arena Juan Carlos Calleja, de acordo com esta empresa pesquisadora, aumentou na intenção de votos ao passar dos 25% obtidos em novembro de 2018 para 27% em janeiro de 2019. Outro candidato favorecido foi Hugo Martinez da FMLN, que subiu dois pontos percentuais, passou de 8% para 10% na preferência do eleitorado. Enquanto isso, Nayib Bukele, candidato da GANA, caiu 3%, passando de 24% para 21%. Enquanto Josué Alvarado de Vamos caiu um ponto percentual, passou de 4% para 3%.

AS NOTÍCIAS FALSAS INVADEM AS REDES SOCIAIS

El Salvador é o terceiro país com penetração da internet na América Central. Mais de 59% da população tem acesso ao serviço da Internet, através de diferentes dispositivos e plataformas. Os números da Internet World Stats (IWS) confirmam que existem 3,7 milhões de usuários no país.

El Salvador possui uma área de 21.040 km2 que o coloca entre os menores países, com uma população de 6.357.853 pessoas com uma alta taxa de densidade populacional de 303 habitantes por km2.

Tal como aconteceu em outros processos eleitorais da América Latina, as redes sociais têm sido ativadas para mover milhares de mensagens falsas sobre a situação em El Salvador e, especialmente, sobre o governo de Salvador Sánchez Cerén, o atual presidente, ex-comandante guerrilheiro, líder histórico da Frente Farabundo Martí para a Libertação Nacional (FMLN).

Milhares de carrinhos, que servem à direita salvadorenha, difundem notícias falsas sobre os seus adversários, tentam enfatizar em suas mensagens a existência de um clima de insegurança e corrupção no país, são replicados exemplos de violência de gangues, de atos de corrupção cometidos por funcionários do atual governo, etc. As mensagens parecem-se com aquelas usadas no Brasil durante a campanha de Jair Bolsonaro pela presidência.

As notícias falsas que invadem as redes sociais parecem estar afetando a campanha eleitoral, aumentando a desconfiança e a insegurança. As mensagens estão sendo direcionadas aos jovens, especialmente abaixo de 24 anos, para desmobilizá-los. De acordo com vários especialistas, essa faixa mostra certos níveis de «apatia» em relação ao debate político e às eleições, o que poderia levar a uma abstenção significativa.

No programa do GANA, amplamente divulgado pelas redes, aparecem propostas muito radicais a favor da pena de morte, contrário da penalização do aborto, o uso de paramilitares para combater as gangues; outro elemento usado por essa formação é o uso falso dos elementos da esquerda, a apropriação de símbolos, slogans, hinos, como ‘O povo unido nunca será derrotado’, etc.

Atualmente, o poder das gangues e seu meio, que abrange mais de 400 mil pessoas, em um país que tem pouco mais de seis milhões de habitantes, é um problema sério a ser levado em conta.

No mês passado, uma caravana de mais de mil migrantes centro-americanos, alguns deles salvadorenhos, fugindo da violência e a pobreza das gangues, entre outras razões, tentou cruzar o México para chegar aos Estados Unidos.

A secretária de Segurança Nacional estadunidense, Kirstjen Nielsen, no início deste ano anunciou o fim do Status de Proteção Temporária (TPS) para os mais de 195 mil salvadorenhos, a quem deu entre 12 e 18 meses para retornarem ao seu país. O programa, que remonta a 1990, concedia autorizações para viver e trabalhar nos Estados Unidos a cidadãos de países afetados por guerras ou desastres naturais. O retorno dessas pessoas a El Salvador é um grande desafio para o governo, uma situação explorada pelo candidato do GANA em sua campanha eleitoral.

A FMLN E O GOVERNO DE SALVADOR SÁNCHEZ CERÉN

O governo de Salvador Sánchez Cerén promoveu programas importantes em benefício dos mais vulneráveis, entre os quais se destacam a entrega de uniformes, calçado, kits escolares e alimentos para crianças nas escolas públicas do país.

Também implementou programas estratégicos que criaram as bases para um sistema educacional moderno e inclusivo, por meio de programas de apoio social para estudantes, infraestrutura escolar, qualidade educacional e dignidade do professor. O programa Um menino, uma menina, um computador, permitiu entregar 5 mil computadores Lempite, além disso, a Universidade Online foi lançada, oferecendo oito carreiras universitárias.

A construção do hospital nacional de La Unión e o centro oftalmológico do hospital nacional Santa Gertrudis, em San Vicente, destaca-se. Com a gestão do governo anterior (Arena) em cada mil crianças nascidas vivas morriam 23 antes de chegar a um ano, os programas do atual executivo conseguiram reduzi-lo para dez. A mortalidade materna que estava em 50 caiu para 32.

A FMLN não é um partido como os outros, não é o resultado da politicagem, surge do povo, luta há anos para acabar com a ditadura do crime e o opróbio, luta que culminou com um acordo de paz que levou à conversão da organização guerrilheira em partido político. A FMLM tem uma origem decente e um projeto popular legítimo.

O povo salvadorenho organizado não tem dúvidas de que a oligarquia salvadorenha, se receber o poder, decretará a Lei de Privatização da Água, um dos problemas mais graves de El Salvador, entre outras medidas neoliberais anunciadas; os dias de Roberto d'Aubuisson, o assassino de Oscar Arnulfo Romero, dos esquadrões da morte e dos desaparecidos podem voltar. É a vez do povo salvadorenho escolher no dia 3 de fevereiro.

ALGUMAS CONQUISTAS DO GOVERNO DO PRESIDENTE SÁNCHEZ CERÉN

- Os planos de Saúde do governo eliminaram doenças como malária, sarampo, caxumba, reduziram a mortalidade infantil de 23 para 10 por mil nascidos vivos e a mortalidade materna de 50 para 32.

- Com a criação do Banco de Desenvolvimento e da Banca Mulher, foi dada assistência técnica e econômica a mais de 5 mil mulheres.

- O analfabetismo foi reduzido de 17,97% para 11,3%, o que representa 327 mil pessoas alfabetizadas.

- 1,5 mil escolas foram reabilitadas para o programa Escolas Abertas para o Convívio, que se concentra na prevenção e segurança do cidadão.

- Cerca de 450 mil pessoas deixaram a pobreza extrema.

- Cerca de 300 mil pessoas acessaram ao serviço de água potável em suas casas e cerca de 200 mil têm agora uma nova conexão elétrica.

- El Salvador em 2019 tem o maior orçamento para a educação em toda a sua história: cerca de um bilhão de dólares.

- O ano letivo de 2019 começa com a entrega de 23.013 computadores Lempita para 1.161 escolas públicas. Estes computadores serão utilizados por 95.333 alunos e 4.198 professores.

- Através do Plano Nacional de Formação de Professores, foi ministrada formação a mais de 30 mil professores do setor público.

FONTE: SITE DA PRESIDÊNCIA DO GOVERNO DE EL SALVADOR