ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Internet

Governo nega tomar base aérea de La Carlota por tentativa de golpe na Venezuela

O governo venezuelano pediu ao povo que se concentre no Palácio de Miraflores para rejeitar a tentativa de golpe.

O presidente da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, Diosdado Cabello, negou a captura da Base Aérea de La Carlota, depois que um pequeno grupo de soldados se revoltasse para promover um golpe com a extrema direita, informa a Telesur.

«Nenhuma instalação militar foi violada no país, eles estão na rua no Distribuidor Altamira e estamos direcionando as operações a partir da Base Aérea La Carlota», explicou.

Da mesma forma, o governo nacional pediu ao povo venezuelano se reunir diante do Palácio de Miraflores para rejeitar a tentativa de golpe.

No início desta terça-feira, 30 de abril, o vice-presidente de Comunicação, Jorge Rodríguez, informou que um grupo de soldados estava localizado no distribuidor de Altamira, no leste de Caracas, para promover um golpe junto com a extrema direita.

A Venezuela foi submetida nos últimos meses a um cerco internacional que incluiu o apoio dos Estados Unidos à autoproclamação como presidente interino do deputado de oposição Juan Guaidó, denunciado como um golpe continuado do governo nacional.

As autoridades das diferentes instituições do Estado estabeleceram uma posição de rejeição da tentativa de golpe de Estado.

O vice-presidente de Comunicação da Venezuela, Jorge Rodríguez, informou na terça-feira que um pequeno grupo de soldados que tentava promover um golpe na Venezuela foi desativado.

Através de sua conta no Twitter, o funcionário alertou sobre as atividades desse grupo rebelde.

«Informamos o povo da Venezuela que estamos enfrentando atualmente e fora um pequeno grupo de tropas traidores que foram posicionados no Distribuidor Altamira para promover um golpe contra a Constituição e a paz da República», disse Rodriguez.

O governo venezuelano pediu ao povo que se concentre no Palácio de Miraflores para rejeitar a tentativa de golpe.

O presidente dos Conselhos de Estado e Ministros de Cuba, Miguel Diaz-Canel, expressou no Twitter sua rejeição à tentativa de golpe.

«Nós rejeitamos esse movimento golpista que visa encher o país de violência. Os traidores que se colocaram na linha de frente desse movimento subversivo usaram tropas e policiais com armas de guerra em uma via pública na cidade para criar ansiedade e terror».

Por sua parte, o chanceler de Cuba, Bruno Rodríguez Parrilla condenou energicamente esta rede social na tentativa de golpe na Venezuela em andamento e expressou forte apoio e solidariedade de Cuba para o presidente constitucional desse país irmão.

(Notícia em construção)