ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Reyes Maroto insistiu no compromisso do governo da nação ibérica em defender os interesses legítimos das empresas que possuem projetos em Cuba. Photo: Ismael Francisco

O governo espanhol rejeita a ativação do Título III da Lei Helms-Burton e «implementará todas as medidas possíveis para defender os interesses das empresas espanholas em Cuba», disse em uma entrevista coletiva, na segunda-feira, 6 de maio, a ministra da Indústria, Comércio e Turismo da Espanha, María Reyes Maroto Illera, que está em Havana para participar da FitCuba 2019.

Segundo a ministra, esta posição da administração Trump «gerou a rejeição da comunidade europeia» e tem uma influência negativa na comunidade empresarial espanhola com interesses econômicos na Ilha.

Maroto insistiu no compromisso do governo da nação ibérica em defender os legítimos interesses das empresas que têm projetos com a Ilha maior das Antilhas; pois os EUA não levam em conta os pontos de vista de parceiros tradicionais, como a União Europeia (UE) e o Canadá, e até mesmo de vários setores norte-americanos.

A administração espanhola defenderá seus empreendedores por meio de duas áreas: os poderes que tem como governo; e no âmbito da Organização Mundial do Comércio e da Comissão Europeia, através do Estatuto de bloqueio.

Este último instrumento proíbe a execução de sentenças judiciais dos EUA relacionadas com o Título III da Lei Helms-Burton na UE; e foi aprovado em 1996 por seus membros, para se proteger dos efeitos extraterritoriais da dita lei.

Segundo a ministra, vão ser criados espaços na Espanha e em Cuba dedicados a esclarecer dúvidas e preocupações e informar a todos os empresários o que significa essa ativação e os mecanismos de proteção existentes. «O processo», disse, «será longo, e é por isso que eles apostarão em encontrar mediações com o governo dos EUA».

No encontro com a imprensa, ficou claro que os empresários espanhóis mantêm o desejo de investir em Cuba; e que, além do turismo, há motivações em outras atividades estratégicas, como energia renovável, transporte e infraestrutura.

A Espanha é a convidada de honra da FitCuba, o evento mais importante do setor turístico em Cuba este ano; ocupa o nono lugar no mercado entre os principais países emissores e o quinto na região europeia. No final de 2018, havia ultrapassado 167.000 visitantes à Ilha; tem a maior conectividade aérea e o maior peso no investimento estrangeiro em turismo.

CABRISAS RECEBE REYES MAROTO

Ricardo Cabrisas Ruiz, vice-presidente do Conselho de Ministros, recebeu na segunda-feira, 6, à tarde a senhora María Reyes Maroto Illera, ministra da Indústria, Comércio e Turismo do Reino de Espanha, que visita Cuba à frente de uma grande delegação que participa da Feira Internacional do Turismo FitCuba 2019. Empresas espanholas lideram a gestão de hotéis em Cuba. A Espanha também está em nono lugar na lista de mercados que emitem turistas para a Ilha.

Durante a reunião, o vice-presidente Cabrisas observou o bom estado das relações entre Cuba e a Espanha, país que confirma sua posição como um dos principais parceiros de Cuba nas esferas comercial e empresarial, bem como na cooperação internacional. De igual modo, reconheceu a posição do Governo espanhol perante a aplicação do título III da lei Helms-Burton, liderando no seio da União Europeia a rejeição desta medida.

Na reunião, foi ratificada a vontade mútua de trabalhar em coordenação para continuar fortalecendo as relações econômicas bilaterais. Como parte das ações a serem desenvolvidas entre os dois governos, será estabelecida a reativação da Comissão Intergovernamental e a assinatura do novo Marco de Parceria com a Espanha, um instrumento que estabelecerá as bases para o desenvolvimento da cooperação bilateral nos próximos quatro anos, que será baseado nas prioridades estabelecidas no Plano de Desenvolvimento Econômico e Social até 2030.

A Espanha continua entre os principais parceiros comerciais de Cuba, ocupando o terceiro lugar no mundo e o primeiro na Europa e na União Europeia. É também o país com o maior número de empresas estabelecidas em Cuba.

Como parte de sua visita, a ministra se reunirá com os ministros do Comércio Exterior e o Investimento Estrangeiro de Cuba; Turismo e Indústrias.

A reunião contou com a presença do sr. Juan Fernández Trigo e Federico Ferrer Delso, embaixador e assessor econômico e comercial, respectivamente, da embaixada do Reino da Espanha em Cuba; bem como a srª Mari Paz Ramos Resa e o sr. Juan Díaz Bidart, diretor-geral de Comércio e Investimentos e diretor do Gabinete da ministra, respectivamente, do ministério da Indústria, Comércio e Turismo.

Do lado cubano, marcaram presença o ministro dos Transportes, Eduardo Rodríguez Dávila; a vice-ministra do Comércio Exterior e o Investimento Estrangeiro, Ileana Núñez Mordoche; a diretora de Política Comercial com a Europa, Inalvis Bonachea González, e Regnis Arzuaga Guerra, especialista em Política Comercial, ambos do ministério do Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro.