ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

O grupo francês Accor, primeiro operador hoteleiro europeu, e o espanhol Meliá International alargarão a presença em Cuba, anunciaram seus representantes desde Paris.

 “O Accor tem 250 hotéis na América sob a marca Pullman, Mercure, Ibis e Sofitel, principalmente, e é uma decisão do grupo desenvolver-se no mundo todo e também em Cuba”, disse Eric Peyre, delegado da firma na Ilha maior das Antilhas.

 Em declarações à Prensa Latina, Peyre destacou que em agosto de 2015 será inaugurado o Pullman Cayo Coco, e há um plano para 2016 e 2017 em Havana, Varadero e no arquipélago do norte da nação antilhana.

 Neste momento, Accor conta com três hotéis no país caribenho sob a marca Mercure, um na capital e dois em Varadero.

 Peyre informou que os turistas franceses representam 25% dos visitantes que ocupam as instalações dessa firma e são visitantes que preferem os percursos por cidades patrimoniais como Havana, Trinidad e Cienfuegos e depois desfrutarem de três ou quatro dias na praia.

 O vice-diretor de marketing e vendas da Meliá Hotels International, Narciso Sotolongo, anunciou que essa rede abrirá proximamente o 27º hotel em Cuba, o Meliá Jardines del Rey, em Cayo Coco, que conta com 1.176 cômodos.

 A firma espanhola está presente nos principais polos turísticos e administra instalações da Cubanacán, Gran Caribe e Gaviota.

 “A Meliá é uma rede líder no país e no ano próximo completará 25 anos de presença em Cuba”, disse Sotolongo.

 Acrescentou que essa firma tem sabido manejar muito bem o mercado e a maioria de seus dirigentes e de seu pessoal são cubanos.

 CAMPANHA TURÍSTICA AUTÉNTICA CUBA SE ESTENDERÁ POR TODA RÚSSIA

 “Como parte destes esforços se está fomentando também na região Centro-Leste da Rússia a campanha Autêntica Cuba, que promove os destinos de férias da Ilha nesse mercado ainda sem explorar”, destacou o representante do Ministério do Turismo (Mintur) nessa nação euro-asiática, Edilberto Riverón.
 O funcionário explicou que esta estratégia de divulgação se concentrou no oeste, sobretudo em Moscou e São Petersburgo, mas deverá estender-se à área setentrional e oriental, onde se concentram algumas das cidades mais povoadas e de maior desenvolvimento econômico, como Nizhni Novgorod, Kazan e Samara.
A culinária, a coquetelaria e as tradições musicais e dançárias da nação caribenha são alguns dos pontos fortes nos que se baseia esta estratégia de marketing, apoiada pelos spots da agência publicitária Target Media, do país eslavo.
 Rússia é, atualmente, o décimo emissor de turismo para a Ilha, mas desde que a Autêntica Cuba iniciou ali seus percursos, em 2011, apresenta uma tendência a aumentar o número de viajantes, os quais para julho de 2014 tinham crescido em 25% relativamente à mesma data de 2013, segundo dados oferecidos pelo Gabinete Nacional de Estatísticas e Informação.

NOVOS CAMPOS DE GOLFE PARA O TURISMO

 “Com o intuito de enriquecer seu produto turístico, Cuba promove a criação de empresas mistas para o desenvolvimento de imobiliárias ligadas a campos de golfe, entre as modalidades de investimento estrangeiro que atualmente se priorizam no setor do turismo”.

  Assim assegurou o diretor de Negócios do Ministério do Turismo, José Reinaldo Daniel Alonso, em declarações à AIN sobre as últimas novidades na concreção desse tipo de projetos, com participação de capital de fora.

  Confirmou que já concluíram as negociações para a constituição no país da segunda empresa mista associada ao desenvolvimento de imobiliárias, após a assinada, nos começos de 2014 entre o grupo extrahoteleiro Palmares e a companhia britânica Esencia Hotels and Resorts.

  Esse primeiro projeto, The Carbonera Golf and Country Club, compreende a construção de duas mil unidades imobiliárias, um campo de golfe, um centro comercial e um hotel, nas proximidades de Varadero (Matanzas), principal polo receptor de visitantes estrangeiros; um investimento valorizado em US$ 350 milhões.

  Também Palmares faz parte das negociações para a conformação da segunda empresa mista, a qual terá como parceiro estrangeiro a firma chinesa Beijing Enterprises Holdings Limited, e se desenvolverá na zona de Bellomonte, a leste de Havana, informou Daniel Alonso.

  Precisou que no atual semestre se tem avançado paralelamente na preparação técnica de mais dois projetos: um deles situado na zona de El Salado, a oeste da capital, e outro em Punta Colorada, em Pinar del Río.

 “Em ambos os casos, a participação estrangeira será de empresas da Espanha com alto prestígio nesse setor, em associação com o grupo extrahoteleiro cubano”, precisou o funcionário do Ministério do Turismo (Mintur).

 Acerca do âmbito legal para esta atividade, Daniel Alonso esclareceu que Cuba concede o direito de superfície por 99 anos ou à perpetuidade, e que a vigência inicial da sociedade a conformar será determinada em correspondência com o período de recuperação do investimento, a magnitude dos recursos mobilizados e as características do projeto.

  Hoje se dá prioridade aos investimentos, preferentemente na segunda linha da praia e em zonas donde não existam as infraestruturas necessárias; esses são os casos de Santa Lucía, ao norte da província de Camagüey, e Covarrubias, em Las Tunas.

  Nesses lugares se pretende a construção de circuitos a distâncias que não ultrapassem, entre elas, os 30 minutos por estrada e em cujas proximidades se encontrem aeroportos internacionais em operação.

  Para complementar a oferta de Sol e Praia, a nação antilhana promove o desenvolvimento de outras modalidades de lazer, como o turismo náutico e de natureza, e com ele, pôr em destaque o destino no Caribe, uma área de alta concorrência por atrair a atenção de viajantes internacionais. (PL/AIN)