ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

HOLGUÍN.— O espírito explorador de Cristóvão Colombo pareceu flutuar na região nororiental de Cuba, entre 2 e 6 de maio recentes. O célebre marinho genovês e seus acompanhantes na azarenta expedição de 1492 tocaram as costas de Cuba e se aputoproclamaram primeiros humanos chegados da Europa em apreciar as belezas naturais desta Ilha, ainda com poder para enfeitiçar, segundo comprovaram os assistentes à 37ª edição da Feira Internacional do Turismo, FITCuba 2017.

O mais importante encontro comercial da indústria turística cubana transitou com sucesso do começo ao fim. O hotel Playa Pesquero, situado no município de Rafael Freyre, foi a sede principal. Referência obrigada por ser um dos maiores de Cuba e oferecer serviços de qualidade, pôs em função dos expositores parte do elegante complexo habitacional, com o fim de instalar os estandes com as condições necessárias para desenvolver as jornadas de explorações e concertações próprias destes eventos.

Apenas se pôs em andamento a convenção, o ministro do Turismo de Cuba, Manuel Marrero Cruz, identificou Fidel Castro Ruz como máximo impulsionador do já feito nesse setor e lembrou que o recém-desaparecido líder revolucionário promoveu o turismo como fator de paz e bem-estar das pessoas.

À abertura assistiram várias personalidades nacionais e estrangeiras, entre elas o integrante do secretariado do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, Jorge Cuevas Ramos.

Nas atividades seguintes, junto a Marrero Cruz, foram vistos: María Wippler, diretora da Subdivisão de Política para a Média e Pequena Empresa e do Setor dos Serviços da Alemanha, país especialmente convidado ao evento; Alejandro Varela, diretor-geral adjunto para as Américas, na Organização Mundial do Turismo; Gabriel Escarrer Juliá, presidente do Meliá Hotels International; Miguel Fluxá Roselló, presidente do Grupo Iberostar, bem como prestigiosas operadoras turísticas internacionais e funcionários cubanos do ramo.

«O número total de participantes ultrapassou as 2.600 pessoas de 41 países», precisou Marrero Cruz no encerramento, realizado no hotel Brisas Guardalavaca, no município de Banes, o que foi componente da estratégia assumida pelo conclave para propiciar aos visitantes conhecer o maior número possível de instalações hoteleiras e extrahoteleiras.

Nessa cerimônia, o ministro cubano anunciou que a FITCuba 2018 terá como sede a ilhota Santa María e será dedicada ao Reino Unido. Em relação aos intensos dias de trabalho no hotel Playa Pesquero, afirmou que, mais uma vez, a indústria turística cubana e o país demonstraram suas potencialidades no setor e a capacidade para assumir com profissionalismo reuniões deste tipo.

Também fez um reconhecimento especial às autoridades políticas e do governo da província, chefiadas pelo membro do Comitê Central do Partido e primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba no território, Luis Torres Iribar, além do presidente da Assembleia Provincial do Poder Popular, Julio César Estupiñán. Holguín em pleno, asseverou, tornou seu o evento.

GIBARA: ASSOMBROSO PREÂMBULO

O acontecido em geral nesta localidade declarada destino turístico cubano, em 2 de maio, foi narrado pela maioria dos mais de 150 jornalistas estrangeiros credenciados na FITCuba 2017. Mas neste caso sempre se corre o risco de não transmitir a emoção tal qual aconteceu.

Os jornalistas chegamos em catamarã, depois de partir da Marinha Gaviota Puerto Vita, a vários minutos do local de hospedagem (o também aconchegante Hotel Blau Costa Verde). A baía de Gibara estava totalmente tranquila, ou melhor, igual de «tranquila» como a descreveu Colombo quando protegeu suas naus nela, por causa do mau tempo. Antes de atracar em um moderno cais flutuante, as boas-vindas desde a ribeira direita, como ocorre desde janeiro de 1817, a Bateria de Fernando VII, obra defensiva que marcou o nascimento deste povoado costeiro.

Incorporados ao grupo composto pelo ministro Marrero e as personalidades já mencionadas, bem como as autoridades políticas e do governo da província e a localidade, sucedeu então o encontro com os povoadores, «possuídos» pela magia real de Gibara, a qual transmitem em forma muito cordial.

Despois desse agradável encontro, realizaram-se percursos por locais públicos, incluída a galeria do afamado pintor Cosme Proenza, ao qual seguiu a cerimônia de declaração de Gibara como destino turístico. A seguir, foi a inauguração do Hotel Plaza Colón, impregnado do ambiente íntimo que lhe transmite sua origem de moradia familiar de época da colônia. Depois houve breves estadas nos hotéis Ordoño e Arsenita, também imóveis patrimoniais.

As emoções conduziram a alemã María Wippler a confessar publicamente que promoverá entre seus compatriotas o visto aqui, ao tempo que lhes transmitirá a sugestão de que venham sem receios.

Na jornada, o grupo hoteleiro espanhol Iberostar, na presença de seu presidente, tornou pública uma decisão estudada minuciosamente com antecedência: assinou um acordo para gerir a administração dos três aludidos hotéis, além de expressar a disposição de fazer a mesma coisa com o Bahía Almirante, logo que estiver em capacidade de operar.

Três dias depois, ainda impressionada, a jornalista russa Marina Matvienko (freelancer, segundo se define), admitiu estar impactada pelo vivido. Esta, disse, é sua primeira visita a Cuba, mas foi um impulso para retornar. Ficou cativada pela idiossincrasia fraternal dos cubanos e a originalidade das ofertas turísticas, sobretudo as da região oriental.

FEIRA DENTRO

A estrutura destes eventos é complexa. Tudo decorre ao mesmo tempo, desde o impetuoso avanço de um abre-alas caribenho que promove valores culturais pátrios, até a solene assinatura de atas de intenções e concertação de acordos mutuamente vantajosos para os associados.

Os representantes da Alemanha não de-saproveitaram seu estatus de convidados especiais. Dentro das gestões realizadas por eles tem destaque a posição da firma CONIMPEX TOURISTIK, que assinou as cartas de intenção dirigidas a dar luz verde ao projeto Complexo Turístico Imobiliário Marinha Residencial Punta Gorda, em Cienfuegos, no qual participa, pelo lado cubano, a Sociedade Mercantil CUBAGOLF SA.

Decididos a ir mais além, as sociedades PlayaGolf and Resorts International Panamá SA e CUBAGOLF SA, assinaram as atas constitutivas da Empresa Mista Punta Colorada SA, que acometerá, por fases, a execução e exploração em Pinar del Río de um moderno complexo de campos de golfe, inserido no programa de desenvolvimento imobiliário associado ao turismo.

Depois da assinatura, o senhor Jaume Roma, presidente da primeira dessas entidades, elogiou a excepcional beleza do lugar escolhido, o qual, ressaltou, é exemplo dos esforços do Estado Cubano por preservar a natureza. Igualmente, expressou a certeza de que ambas as partes irão trabalhar com afinco para tornar a instalação uma das melhores de seu tipo no mundo.

A MELIA HOTELS INTERNATIONAL CUBA assinou com Grande Caribe e Islazul o compromisso de garantir com seus serviços o bom funcionamento de seis hotéis, situados nas províncias de Cienfuegos e Camaguey, ao tempo que esclareceu que, posteriormente, fará a mesma coisa com duas instalações que possui Cubanacán em Trinidad.

Gentil por condição própria, Yamily Aldama Valdés, presidenta do Grupo Hoteleiro Cubanacán, não objetou compartilhar com o Granma Internacional acerca dos hotéis E, marca própria que emprega instalações patrimoniais depois de serem resgatadas mediante ações construtivas, as quais expressam a estratégia através da qual o Ministério do Turismo contribui para a preservação e promoção dos valores culturais da nação.

Confirmou que o contrato estabelecido com a Iberoestar para administrar os hotéis situados em Gibara é um dos muitos passos que continuarão dando, para melhorar a gestão dos serviços nas instalações. «O antecedente desse processo na região oriental, acrescentou, coloca-se em Santiago de Cuba, onde no mês anterior o grupo espanhol começou a administrar os hotéis Imperial, Gran Hotel e Casa Granda».

«Os vínculos com uma cadeia estrangeira se tornam transferência de conhecimentos. Também representa incorporar aos nossos serviços padrões superiores de qualidade que se transferem ao pessoal, favorecendo ao mesmo tempo sua formação», comentou.

A doutora Ileana Reyes Álvarez, representante dos Serviços Médicos Cubanos (atende seu Centro de Vendas), explicou que junto a sua equipe tinha atendido mais de vinte operadoras turísticas internacionais, nas duas primeiras jornadas. «Todas, apontou, foram interessadas no turismo de saúde, que em nosso país tem diversas ofertas. Uma das mais significativas é o tratamento aos vícios de drogas fortes e fracas mediante processos curativos que descartam as substâncias químicas».

«Promovemos novas ofertas de terapias que, em Cuba, mantemos a preços nada parecidos aos impostos com fins mercantilistas em outras partes. Por exemplo, oferecemos os implantes cocleares para crianças com transtornos auditivos, transplantes de medula para combater doenças hematológicas, cirurgias com alta tecnologia dirigidas a corrigir problemas da coluna vertebral, tratamentos a diabéticos, entre outras coisas», acrescentou.

ELO DA MESMA CORRENTE

Sem vestígios de autosuficiência o pes-soal do estande da Agência de Viagens ECOTUR manifestou estar entre os mais ativos. As razões dessa consideração, expostas por Francisco Longino Franquiz, explicam-se com o árduo trabalho de promoção realizado a favor da 11ª edição do Evento Internacional do Turismo de Natureza (TURNA 2018), que em setembro se realizará em zonas das províncias orientais de Holguín e Guantánamo.

«Expusemos várias ofertas, das quais sugiro as trilhas a seguir durante o evento. Como novidades oferecemos a de Colombo, bem como as do Café e do Cacau. Uma muito especial é a ruralidade de Holguín. Também tem espaços para aqueles que amam o mergulho».

«A utilidade de assistir à feira também se espelha, afirmou, na possibilidade de revelar os resultados dos projetos que superam os tradicionais safaris em carros ao incorporar novas modalidades de percursos em bicicleta, motos e veículos camper».

«Mais de meia centena de operadoras turísticas passaram pelo estande, comparando as possibilidades de estabelecer contratos de serviços com nossa empresa. Representam mercados muito interessantes. Recebemos intenções da China, Rússia, Colômbia e Panamá», acrescentou antes de revelar o sério esforço que realiza um grupo de guias da região oriental para identificar o maior número possível de tours vinculados com a natureza, o qual incrementará as possibilidades de desfrutar do charme da flora e da fauna desta porção da Ilha.

Ao grupo de estrangeiros satisfeitos por estar em Cuba nestes dias pertence o italiano Massino Terracina, veterano do jornalismo turístico. Admirado pela capacidade de resistência dos cubanos perante fatores desestabilizadores externos, opinou que é uma fortuna para nosso país ter ficado fora da maré globalizadora que expande tecnologia com a mesma força com que arrasa culturas nacionais.

Falamos precipitadamente sobre muitas coisas. A visita ao território de Holguín lhe serviu para aprofundar no conhecimento da região oriental de Cuba. Gibara lhe fez relembrar muito Remedios e Sancti Spíritus, lugares que frequentou. Cultivam a originalidade desses locais e a maneira em que preservaram o estilo colonial e a cubanidade.

Não lhe perguntei o porquê decidiu visitar-nos, em vez de estar na República Dominicana, nação que realizou sua feira internacional de turismo à par da nossa. Preferi acreditar que optou pela natureza e o patrimônio cultural cubanos e a autenticidade e fraternidade de nossa gente, protagonista entusiástica de avanços e projetos em andamento.