ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

O turismo de sol e praia continua sendo a principal atração deste setor em Cuba. Apesar dos alertas de viagem para os americanos que aconselham «reconsiderar» as visitas à Ilha Maior das Antilhas, o bloqueio imposto por quase 60 anos e campanhas midáticas, o país continua sendo uma referência turística no Caribe.

Um dos exemplos mais próximos é o dos ilhotas de Villa Clara, um destino recentemente reinaugurado e sede da FitCuba 2018. Desde 1995, essas ilhotas estavam conectadas ao continente e sua progressão foi imparável. Hoje têm 10.572 quartos em 17 hotéis.

«Dos 24 quartos em 1999, chegamos em 2012 com 5 682 quartos de hotel, a Marina, um aquário de golfinhos, a Clínica Internacional e os locais turísticos La Estrella e Las Dunas. Hoje também temos novos hotéis, dois outros lugares: Las Terrazas e Las Salinas, serviços de transporte terrestre, ofertas náuticas e excursões», assevera o vice-presidente de marketing da Gaviota S.A, Frank P. Oltuski.

CRIAR UM DESTINO LEVA INFRAESTRUTURA

Talvez, tantos números não permitem perceber tudo o que foi trabalhado para o desenvolvimento deste destino, mas é um espaço que foi criado a partir do zero. Questões como abastecimento de água, geração de eletricidade, estradas, paisagismo, tratamento de resíduos, sinalização e muitas outras foram ações essenciais para alcançar a expansão que hoje é percebida.

«Neste momento, uma usina de dessalinização na Ilhota Santa María está em fase final de ajuste para sua iminente posta em andamento, com quatro módulos de osmose inversa que fornecerão 50 litros de água por segundo para os 140 litros atualmente bombeados para as ilhotas de terra firme», explica Oltuski.

Para dar total segurança ao fornecimento de água nas ilhotas de forma definitiva, acrescentou, pretende-se colocar em operação até 2019, uma usina de igual capacidade que fornecerá um fluxo adicional de 50 litros e permitirá atingir 100 litros por segundo somente dessa fonte.

Atualmente, estão em funcionamento cinco estações de tratamento de resíduos líquidos, que são gerados na exploração hoteleira e produzem entre 20 e 30 mil metros cúbicos de água de refugo por mês para a irrigação de jardins. Novos investimentos também estão sendo desenvolvidos para o processamento e reciclagem de todos os tipos de resíduos, o que permitirá a continuidade das políticas conservacionistas que são realizadas nas ilhotas, que fazem parte da Reserva Mundial da Biosfera da Baía de Buena Vista.

Tudo isso, juntamente com a capacidade de geração de energia de 55 MW com redes subterrâneas em todo o território, permitiu que a abertura dos hotéis fosse feita com um ou dois anos de diferença. De acordo com o vice-presidente de Marketing do grupo Gaviota SA, para a próxima temporada 2018-2019, dois novos hotéis serão abertos: o Paradisus Los Cayos, um hotel cinco estrelas com 802 quartos e o Angsana Cayo Santa María com 252 quartos.

«Isso nos coloca a poucos passos de alcançar o potencial máximo de capacidade hoteleira nas ilhotas de Villa Clara, um objetivo que alcançaremos até 2020 quando se terminem os hotéis La Salina Noreste e La Salina Suroeste de 633 e 621 quartos, respectivamente», acrescentou Frank. P. Oltuski.

EXCURSÕES E PASSEIOS

Os hotéis não são as únicas atrações turísticas em Cuba. Espaços como os aquários de golfinhos, spas, praças com restaurantes, salas de jogos, discotecas e outros são opções para os clientes que vêm a esta parte do Caribe.

As marinas se destacam com sua frota de catamarãs, barcos para passeios privativos, iates para mergulho, bem como ofertas de pesca com modalidades como trolling, fly e pesca em alto mar.

A Agência de Viagens Gaviota Tour, por exemplo, ampliou sua pasta de excursões e passeios, enfatizando em experiências mais próximas da história e da cultura do país. Os destaques incluem visitas a Remedios, Trinidad, a cidade de Santa Clara com seu mausoléu para Ernesto Che Guevara, escursões a Havana e aos centros históricos.

Da mesma maneira, o turismo de natureza ocorre em Topes de Collantes, uma Paisagem Natural Protegida, onde os banhos termais podem ser combinados com belos espaços naturais para os amadores do ecoturismo.

OUTROS DESTINOS

Muito mudou o interesse de quem vem para a ilha. A diversidade de destinos oferecida pelo país permitiu o constante crescimento de visitantes e com isso a abertura de mais espaços de hospedagem. É por isso que continuamos progredindo no desenvolvimento da infraestrutura hoteleira.

Em Jardines del Rey, o Grand Muthu Hotel Cayo Guillermo, de 500 quartos, foi inaugurado em março passado. O Punta Rasa II de 500 quartos e o Pilar I de 24 estão em fase final, uma acomodação de alto padrão que deve ser inaugurada em setembro próximo.

«O Ocean Arenas Blancas, de 546 quartos, ao lado do Hotel Quebrada, anuncia a estreia da ilhota Cruz como um novo destino ao norte de Camaguey, enquanto o Iberostar Holguín de 638 quartos entrará em operação neste ano».

"Em Havana, por sua vez, em breve teremos o Iberostar Grand Hotel Packard com 321 quartos. Este hotel já gera expectativas pela sua qualidade, localização privilegiada e tipo de produto. Também reforçará a oferta de hotéis de luxo na capital iniciada com o Gran Hotel Manzana Kempinski ", explicou Oltuski.

O grupo Gaivota S.A. tem 1.892 quartos em Havana e planeja adicionar outros 7 mil quartos de hotel em 2025 para ajudar a reverter o déficit habitacional da cidade. Em 2019, o Hotel Paseo del Prado será inaugurado com 250 quartos, enquanto em lugares como o Vedado e Miramar será iniciada a construção de vários hotèis modernos que devem ser inaugurados em 2021.

«Glorias do passado como o Gran Hotel, o prédio da fábrica de charutos Corona, o hotel Regis, o Palacio del Cueto e o Marqués de Monte Hermoso estão sendo intervencionados para reabrir convertidos em acomodações de luxo de Habaguanex, no Centro Histórico de Havana. Assim, até 2021, serão adicionadas ações para comemorar os 500 anos da fundação da Vila de São Cristóvão de Havana», acrescentou Oltuski.

Para este ano o grupo Gaviota S.A. incorporará mais de 2.750 novos quartos em suas capacidades e fechará 2018 com 33.200 quartos de hotel em 93 acomodações, o que equivale a aproximadamente 50% da infraestrutura habitacional em Cuba. Também avança na expansão e desenvolvimento de destinos como Varadero, Ilhota Paredón Grande, Ilhota Cruz, a Península de Ramón de Antilla, ao norte de Holguín e Havana.