ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Jorge Luis González

COM a presença do primeiro-secretário do Partido e presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, começaram na Praça da Revolução José Martí de Havana, as celebrações por este Dia Internacional dos Trabalhadores.

Membros do Bureau Político do Partido, do Comitê Central e seu secretariado, e dos Conselhos de Estado e de ministros, também acompanharam a passeata dos trabalhadores junto a assaltantes do quartel Moncada, expedicionários do Granma, Heróis e Heroínas da Revolução, trabalhadores destacados, o comitê de familiares das Vítimas de Barbados, entre outros convidados.

Na Praça de Havana já se reuniram milhares de pessoas e entre eles se encontram por volta de dois mil participantes de outras latitudes do mundo, que vieram celebrar a data em Cuba, como apoio à Revolução.

A condenação do bloqueio econômico, comercial e financeiro que mantêm os Estados Unidos contra Cuba, o reclame da devolução da base naval de Guantánamo e o respaldo aos processos de emancipação da América Latina, são outras das motivações dos cubanos neste 1º de Maio.

Na alocução central, o secretário-geral da CTC e membro do Bureau Político do Partido Comunista, Ulises Guilarte cumprimentou todos os trabalhadores cubanos e do mundo e disse que os trabalhadores cubanos marcharão unidos e em blocos compactos, respondendo com unidade e compromisso, o que converte este desfile cada ano em uma mostra contundente do respaldo da classe operária ao processo de atualização do modelo econômico, para converter Cuba em uma nação socialista, próspera e sustentável.

Assegurou que o desfile é também um respaldo ao modelo econômico social que elegemos livremente, para construir uma nação próspera e sustentável e com caráter irrevogável.

Lembrou a transcendência estratégica para o presente e futuro do país dos acordos do 7º Congresso do Partido e ratificou o apoio dos sindicatos aos mesmos. Da análise que faremos em cada local de trabalho sairá o contributo dos operários para construir o consenso em torno deles e sua implementação, disse Guilarte de Nacimiento.

Entre as missões mais relevantes dos trabalhadores para levar adiante o país estão a luta pela paz, a firmeza ideológica, a eficiência na geração de riquezas, a qualidade na produção e nos serviços, a abordagem integral das cadeias de produção, a substituição de importações e a geração de produtos para a exportação.

O secretário geral da CTC mencionou as efemérides que motivam o trabalho para conseguir esses objetivos: os 55 anos da Campanha de Alfabetização, o 60º aniversário do desembarque do Granma e o 90º aniversário do líder da Revolução Cubana Fidel Castro Ruz.

Em suas palavras, o membro do Bureau Político dedicou uns minutos a denunciar as manobras contra os governos de esquerda e progressistas no poder na América Latina, especialmente contra Venezuela e o Brasil, mas que se intensificaram nos últimos tempos no Equador, Bolívia, Nicarágua e El Salvador.

Guilarte expressou que como um ato soberano Cuba restabeleceu relações com os Estados Unidos, mas ratificou que a normalização não será possível enquanto se mantiver o bloqueio econômico, comercial e financeiro contra nosso país, bem como a ocupação da ilegal base naval de Guantánamo.

O secretário da CTC agradeceu a todos os amigos solidários que acompanham este desfile e reiterou a mensagem de solidariedade com os trabalhadores que no mundo são reprimidos por reclamar seus direitos mais elementares.

Sob quaisquer que sejam as circunstancias continuaremos a luta contra a desigualdade, a injustiça e pela dignidade e o bem-estar dos trabalhadores, acrescentou.

Marchemos com a certeza incomovível da vitória, exortou em suas palavras finais.

O desfile em Havana foi liderado pelos trabalhadores da Educação, seguidos pelos da Saúde, e o setor da Construção.

Como cada 1º de Maio, cubanos de diferentes idades se reuniram nas praças do país para participar do tradicional desfile pela efeméride, mas que nesta ocasião tem motivaç5es especiais, como o respaldo às resoluções do 7º Congresso do Partido e a homenagem aos 90 anos do líder da Revolução Cubana, Fidel Castro Ruz.

Sob a ideia de Unidade e Compromisso, desde as 7 da manhã em Santiago de Cuba começou a passeata dos trabalhadores junto aos seus familiares e amigos.