ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Nas escolas primárias cubanas as crianças das zonas rural e urbana atingem igual desenvolvimento de habilidades. Photo: Efraín Cedeño

NESTE momento, o Ministério da Educação de Cuba faz o terceiro aperfeiçoamento do sistema nacional de ensino, processo que também incluiu as escolas rurais do país.

Como parte desta atualização e levando em conta as características e como se trabalha nas zonas não urbanas, traçaram-se algumas estratégias para aproximar mais a forma de ensinar neste contexto das de aprender.

Especialistas experientes traba-lham para não minguar na qualidade nem no rigor das escolas cubanas. Um destes experientes professores é o Doutor em Ciências Pedagógicas da Universidade de Holguín, Humberto Marrero Silva.

Que nova proposta traz o aperfeiçoamento para o ensino primário multissérie da zona rural?

«A partir deste aperfeiçoamento se vai generalizar ao país todo o trabalho em prol da aula única. Neste momento, alguns professores, quando têm alunos de diferentes séries na mesma sala ministram as mesmas por atendimento espontâneo e direto, de maneira independente para diferentes séries, quer dizer, que não está totalmente à frente do grupo durante os 45 ou 60 minutos que durar a atividade».

«A aula única nos está propondo que para a zona rural seja uma só, para a combinação de série que existir. O professor deve ter certa preparação e nós estamos trabalhando em como consegui-la, para que seja capaz de dirigir esse processo de maneira simultânea com todas as séries ao mesmo tempo».

«Há, portanto, maior desenvolvimento de habilidades. Exige-se maior esforço por parte do professor; porém os frutos que se obtêm estão mais de acordo com as crianças e são semelhantes aos que há em outros lugares do país».

«Não vamos dizer que a aula única é a varinha de condão, a solução mágica que virá resolver todos os problemas das zonas rurais, especificamente na multissérie, mas contribuirá grandemente para que aquele professor que ministra aulas para alunos de seis séries diferentes não tenha que planejar seis aulas de diferente tipo; mas que com uma só possa atender o grupo todo no tempo de duração dessa aula e cada um vai saber o que deve responder, em correspondência com seu desenvolvimento».

Em que momento se chegaria a generalizar esta experiência?

«Já há um grupo de províncias do país que estão aplicando determinadas partes desta nova diretriz. Este é um trabalho que viemos desenvolvendo um coletivo de autores do setor rural, desde 2011. A maneira de expandir seu conhecimento tem sido nos workshop do setor rural, que se realizam anualmente em diferentes regiões».

«Já tem sido experimentado em determinadas escolas e deles temos obtidos resultados que nos estão demonstrando que essa é a maneira que devemos adotar para que o processo de ensino-aprendizagem neste contexto obtenha os frutos que precisamos».

«Tudo sobre a base do modelo de escola primaria, tanto urbana quanto rural, mas enfatizando nas particularidades de cada um destes grupos escolares, que pode ser de até 57 combinações de multissérie».

«Já estão em todas as escolas cubanas dois volumes do livro. A escola do ensino primário rural multissérie. Uma aproximação didática-metodológica. O primeiro volume, do qual eu faço parte do coletivo de autores, de Língua Espanhola e o segundo inclui as matérias Matemáticas, Ciências Naturais, Geografia de Cuba e O mundo em que vivemos. A base teórica e metodologia que sustenta este terceiro aperfeiçoamento para o setor rural está contida neste livro».

Quando se fala de aperfeiçoar o processo docente-educativo geralmente se enfatiza no que deve fazer o professor. O que deveria fazer o aluno de uma escola primária multissérie?

«A primeira característica que tem esta nova concepção da sala única é que a partir de um conteúdo integrado e de uma atividade comum de aprendizagem, o centro de atendimento é o aluno, independentemente do nível de desenvolvimento e de maturidade que tenha nos seus processos psíquicos».

«Cada um deles vai desenvolver habilidades até chegar o momento em que vai ser consciente de até aonde pode chegar e de quando precisa a ajuda, bem seja do colega que tem ao seu lado ou do professor».

«É um complexo processo de relações que se produz entre crianças de diferentes níveis de maturidade. Isso não se vai conseguir daqui a pouco. É um processo, mas eu acho que não vai tardar muito tempo para que em nossos grupos escolares multissérie, quando se realize uma atividade comum de aprendizagem, todos saibam até onde chegar».

«Neste caso, o professor de multissérie vai se tornar mais um membro ativo desse grupo escolar, mas vai ficar no lugar onde mais precisar esse pequeno agrupamento».

Como contribuirão estas modificações para que os resultados da aprendizagem sejam os mesmos, tanto em zonas urbanas quanto rurais?

«As condições e os resultados se manterão. Para nós o principal problema não seria pensar em que a multissérie possa ficar atrasada. O principal desafio que temos é que não nos ultrapasse. As crianças nestes grupos escolares desenvolverão várias habilidades que as podem colocar por diante de uma criança normal. Esse seria o principal de-safio: não permitir que isso possa acontecer».