ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

O 19º Festival do Charuto (27 de fevereiro a 3 de março), o maior encontro internacional em torno à cultura do me-lhor fumo do mundo, encerrou com chave de ouro e a arrecadação de um milhão 255 mil euros para o sistema cubano de saúde pública, graças ao bem-sucedido leilão de sete belos umidificadores contentivos das mais notórias marcas de charutos da Ilha Maior das Antilhas, em nível internacional.

Além de sua esmerada manufatura com madeiras de lei, estes cofres são peças únicas, que em seu interior guardam um tesouro incalculável: uma deliciosa seleção de bitolas emblemáticas de cada um dos anéis mais exclusivos e globais de charutos (H.Upmann, Hoyo de Monterrey, Romeo y Julieta, Partagás, Montecristo, Cohiba), ao qual se somou o umidificador da marca Bolívar, que neste ano comemora seu 115º aniversário e o qual abriu o leilão.

Todos os charutos objeto deste remate foram elaborados pelos melhores enroladores das Casas Matrizes (fábricas) de cada marca, junto aos mais experientes especialistas de qualidade de Habanos S.A.

«Penso que o dinheiro irá a uma boa causa, então estamos contentes de pagá-lo», declarou à AFP o canadense Leander D' Silva, que adquiriu por 380 mil euros o móvel da Cohiba, com 20 gavetas e 580 charutos dessa marca.

UMA FESTA INESQUECÍVEL

A Noite de Gala, realizada no recinto de exposições de Pabexpo, na urbanização havanesa de Miramar, foi ocasião propícia, também, para que os mais de 2 mil convidados estrangeiros chegados de 50 países desfrutassem do lançamento internacional do charuto Montecristo mais exclusivo e Premium da marca, sua Linha 1935, em suas bitolas Maltés (cepo 53 x 153 mm de comprimento), Dumas (49 x 130 mm) e Leyenda (55 x 165 mm). As duas primeiras são inéditas na pasta da companhia Habanos S.A, entretanto, a terceira toma o formato da edição especial «Montecristo 80º Aniversário», lançada de maneira limitada no ano 2015 para comemorar os oitenta anos de criação desta marca.

Os charutos desta filigrana contam com uma diferenciada apresentação e uma ligada de sabor forte pela primeira vez na marca, enquanto foram confecionados com uma seleção de deliciosas folhas de capa, bucha e capote, das melhores várzeas de Vueltabajo, situadas na ocidental província cubana de Pinar del Río, a terra onde se colhe o melhor fumo do planeta.

A espectacular arte do violonista hispano-armênio-libanês Ara Malikian e seu ensemble de músicos fechou com chave de ouro o 19º Festival do Charuto. Foto: REUTERS/Alexandre Meneghini

Também na festa se conheceram os vencedores do Prêmio Habano 2016, que reconhece os que sobressaíram na promoção do charuto no mundo e que, desta vez, mereceu a cubana Josefa Acosta Ramos (na categoria de Produção), o britânico Edward Sahakian (em Negócios) e o norte-americano Gordon Mott (em Comunicação).

Por outro lado, o vencedor da 16ª edição do concurso internacional Habanosommelier (maridagem de charutos com bebidas espirituosas) foi o chileno Felipe Rojas, após uma disputada competição com seus colegas de Cuba, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Itália.

Ao mesmo tempo, os prêmios da Feira Comercial, na qual se apresentaram 65 expositores de 11 países, foram em melhor design livre de estande para a Brascuba S.A. O melhor design de estande modular foi para BONGHAB-ITALIA pela confecção de guayaberas (camisa típica cubana) representando a marca de luxo COHIBA ATMOSPHERE; enquanto o prêmio ao estande mais visitado foi para o Grupo Corporativo CIMEX-CUBA. O estande de Havana Club International conquistou o principal troféu na categoria de comunicação integral, entre outros reconhecimentos.

O glamour de uma Noite de Gala foi dominado pela espectacular arte do violonista hispano-armênio-libanês Ara Malikian e seu ensemble de músicos, junto a estrelas cubanas, tais como as cantoras de son Haila María Mompié e Vania Borges, o baladista David Torrens, o quarteto A otro tiempo e a orquestra do maestro Miguel Patterson, que estiveram acompanhados pelas coreografica das companhias de dança de Lizt Alfonso e a de Santiago Alfonso.