ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Alberto Borrego

CIEGO DE ÁVILA.— Gustavo Rodríguez Rollero, ministro da Agricultura, apelo a somar vontades para conseguir o incremento e a consolidação das exportações de frutas frescas, em uma troca de impressões com mais de 200 assistentes ao 7º Encontro Nacional do Movimento de Cooperativas de Frutas, celebrado nesta província.

«É preciso estudar com cuidado todas as variantes de exportação e suas formas, incluída a possibilidade de aproveitar a chegada dos cruzeiros, porque cada vez que ponhamos um produto dentro de um cruzeiro, é uma exportação que fazemos dentro do próprio país».

Photo: Pastor Batista

Disse que para conseguir esse objetivo as 206 unidades produtoras integradas ao movimento, entre cooperativas de créditos e serviços, de produção agropecuária e UBPCs são obrigadas a diversificar as produções de frutas frescas nos mais de 14 mil hectares incorporados até agora.

Ao falar, o vice-presidente do Conselho de Ministros, Ulises Rosales del Toro, pôs dois exemplos da utilidade de comercializar as frutas fora das fronteiras: «a tonelada de manga fresca paga-se no mercado internacional a 2.610 dólares e a de polpa de frutas a 1.218».

Nesse sentido, Santiago Pérez Castellanos, chefe do Departamento Agroalimentar do Comitê Central do Partido, exortou a conseguir produções competitivas para que se possam inserir em um mercado cada vez mais rigoroso e exigente.

Também insistiu na necessidade premente de aumentar os fornecimentos de frutas à industria dos lacticínios, pois somente na compra de sabores para os sorvetes o país investe em torno de seis milhões de dólares, algo que poderia diminuir, ou ao menos desaparecer com melhor integração entre os ministérios da Agricultura e o da Indústria Alimentar.

Photo: Ortelio González Martínez

Rodríguez Rollero elogiou o modo em que Ciego de Ávila fomenta a cultura de frutas, sua comercialização e processamento industrial, em um sistema que integra harmonicamente diferentes estruturas da base produtiva com a empresa estatal socialista. E se referiu à experiência da Empresa Agroindustrial Ceballos, que foi a que iniciou a revolução industrial no ministério da Agricultura e um exemplo a ter em conta em outros territórios.

As áreas dedicadas à produção de frutas nas cooperativas que integram o movimento no país cresceu em 15% nos últimos cinco anos, e a produção atingiu as 104.867 toneladas, 20% acima do planificado.