ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

A Central dos Trabalhadores de Cuba e os sindicatos cubanos declaramos o apoio incondicional e a solidariedade militante, internacionalista e revolucionária com a resposta contundente e enérgica que o povo e o governo legítimo do presidente operário Nicolás Maduro Moros manifestou perante o debate sobre a situação da Venezuela, convocado por uma facção de países no Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) em 28 de março de 2017, em defesa de sua soberania, sua independência, sua autodeterminação pela dignidade de Venezuela e toda nossa América.

Rechaçamos e condenamos a ingerência do secretário-geral da OEA, Luis Almagro, quem com suas ações desestabilizadoras alentou uma minoria de venezuelanos e representantes da direita em nosso continente, com o apoio de Washington, para que seja aplicada a Carta Democrática Interamericana contra Caracas, com o objetivo de intervir nos assuntos internos da Venezuela e liquidar as conquistas sociais e populares alcançadas pelos trabalhadores e o povo, entre elas os benefícios trabalhistas e salariais que contém a nova Lei Orgânica do Trabalho, que tem como objeto o interesse supremo de garantir a proteção integral de todos os trabalhadores sem exceção, fortalecendo as prestações sociais, a redução semanal da jornada de trabalho, a garantia de estabilidade trabalhista, bem como o reconhecimento de outros direitos como a sindicalização, a negociação coletiva e a segurança e saúde no trabalho.

Os trabalhadores cubanos exortamos as organizações sociais e populares de nossa América e do mundo a expressar sua solidariedade a favor do governo e de todo o povo da Venezuela o qual se mobiliza nas ruas em apoio a sua gloriosa Revolução Bolivariana e Chavista.

Não ao ingerencismo imperialista sobre nossos povos!

Venezuela não está sozinha!

Unidade, solidariedade, luta e vitória!

Habana, 30 de marzo del 2017