ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Susely Morfa González, primeira secretária do Comitê Nacional da União dos Jovens Comunistas. Photo: Yaimí Ravelo

NO 55º aniversário da União dos Jovens Comunistas (UJC), em 4 de abril, todas as escolas do país lembrarão a data com atos matutinos especiais, serão entregues carteirinhas aos novos militantes e serão estimulados os estudantes e trabalhadores mais desta-cados.

«Cada atividade terá o colorido, alegria e otimismo que caracteriza a esta organização durante mais de meio século», asseverou a primeira-secretária do Comitê Nacional da UJC, Susely Morfa González, durante uma entrevista coletiva realizada na capital.

A UJC, ao completar 55 anos de fundada, orgulha-se de que em suas filas milite a vanguarda juvenil cubana, e também de continuar atendendo às crianças do país.

A organização, fundada em 4 de abril de 1962, conta com 300.752 membros e mais de 33 mil células de base. Não só têm crescido seus membros, mas também a UJC se esforça em escutar e dar resposta às inquietações dos jovens de todos os setores.

«Apesar destes altos índices, queremos atrair, ainda mais, jovens e ideias. Também continuamos fortalecendo a organização e seus processos políticos, fomentando e motivando uma aproximação das novas gerações à história de Cuba, de forma mais humana, próxima e criativa», comentou Morfa.

Em toda sua trajetória a organização se tem proposto motivar nos jovens o valor de ser úteis à sociedade. «Há quem se questione se as novas gera-ções estão conscientes de seu papel social. Eu acho que estão», valorizou a primeira-secretária, quem também integra o Comitê Central do Partido Comunista de Cuba.

Dos quase três milhões de jovens que há no país, «atrevo-me dizer que a imensa maioria é revolucionária», disse Morfa. Muitos, diariamente, põem seu intelecto a favor do avanço da sociedade e «a organização o verifica cada dia, cada vez que interagimos com eles. Há uma ampla presença de jovens em todos os setores de nossa economia, de onde contribuem para o desenvolvimento de nosso país».

Os jovens são hoje protagonistas em diferentes ramos da produção e dos serviços. Photo: Jose M. Correa

Um exemplo, acrescentou, é o setor açucareiro onde 65% da forca de traba-lho é jovem. Participação semelhante pode ser achada em setores como a saúde pública e a agricultura. «Recentemente, estivemos conversando com os jovens produtores de fumo, em Pinar del Río. Eles não só realizam este trabalho para impulsionar a economia, mas também para manter uma tradição», disse a primeira-secretária.

Ao longo destes 55 anos a UJC se consolidou, também, de maneira que as instituições e ministérios se responsabilizam com as necessidades dos jovens. Eles estão representados e participam dos conselhos de direção e das comissões, onde se tomam decisões que impactam nas novas gerações.

ATENÇÃO AOS JOVENS TRABALHADORES

Susely Morfa disse que era exemplar o relacionamento da UJC com a Associação Nacional dos Agricultores Pequenos, onde a organização conta com mais de oito mil militantes, e também, os esforços por proteger e estimular o jovem cubano quando se insere no mercado do traba-lho, bem seja o estatal ou no setor não estatal.

Em 2016, a UJC liderou várias ações com jovens do setor não estatal, «onde obtivemos muitos resultados, compartilhamos, trocamos, os escutamos. Acompa-nharam-nos representantes do Partido, do Governo e as instituições responsáveis por darem resposta às inquietações daqueles que se iniciam nesta forma de gestão», acrescentou.

No setor açucareiro 65 % da força trabalhadora é jovem. Photo: Juvenal Balán

Neste ano, a UJC tem se proposto «continuar ajudando-os no enfrentamento às ilegalidades, enaltecer nossos símbolos pátrios, continuar explicando os direitos que têm neste setor, quais são os ministérios e organismos dos que se podem aproximar, para compartilhar suas inquietações».

Entre suas prioridades, a organização se propõe, aliás, intensificar o trabalho com os secretários gerais das células de base. «Não podemos esquecer que, embora sejamos uma organização que representa os jovens, também somos uma organização política, onde milita a vanguarda. Por tal motivo, temos que continuar motivando a liderança dos secretários».

«Na medida em que o dirigente estudantil ame a organização, procure todos os dias algo que fazer para me-lhorar seu entorno, consolide o trabalho ideológico, some ideias para continuar fazendo Revolução, os militantes e jovens desejarão ser como ele e o acompanharão nesse traba-lho integrador», comentou a primeira-secretária.

TEMOS QUE SOMAR

A UJC continuará impulsionando percursos históricos, acampamentos de verão, workshop, palestras, entre outras atividades de interesse para os jovens, onde, também, possam ter uma aproximação da cultura e da História.

«Trabalhamos com o Ministério da Cultura para que nossos jovens possam desfrutar de ofertas recreativas onde convivam com o melhor de nossos valores e sejam accessíveis economicamente», acrescentou.

«Os jovens são a continuidade da geração fundadora da Revolução Cubana, não os substitutos», disse Susely. E asseverou que as novas gerações, muito comprometidas com o legado do líder histórico, Comandante-em-chefe Fidel Castro e o apoio do Partido Comunista de Cuba, continuarão defendendo o socialismo e participando das transformações econômicas e sociais que o país precisa».

«Com a UJC estaremos aqueles que sempre desejemos defender, transformar, criar e manter tudo o que se tem conseguido, ao longo de 55 anos. Nosso propósito é somar para que seja uma organização de todos, para que cada jovem a sinta cada vez mais próxima», concluiu.