ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

A aplicação do processo de aperfeiçoamento do Sistema Nacional de Educação (SNE) começará no próximo mês de setembro, de forma experimental, em 154 instituições do país, segundo transcendeu em 6 de abril, no Seminário de Preparação do ano letivo 2017-2018, que atualiza diretivos do ensino geral de todo o país, sobre os desafios fundamentais no período que se avizinha.

As mudanças serão implementadas na primeira infância, no primeiro, segundo e quarto ano de vida, bem como em determinadas séries do primário (1ª e 4ª), no ensino secundário básico (7º) e o pré-universitário (10º), segundo deu a conhecer Silvia Navarro, diretora do Instituto Central das Ciências Pedagógicas.

A pesquisadora precisou que já se encontram em processo editorial os planos e programas de estudo, livros de texto, orientações metodológicas e cadernos de trabalho. E chamou a atenção sobre a importância da preparação de todas as estruturas de direção, bem como dos docentes, familiares, alunos e todos os fatores comunitários.

A esse respeito, a ministra de Educação, Ena Elsa Velázquez Cobiella, sublinhou que este processo de transformações implica também – sem esquecer objetivos comuns – contextualizar seus conteúdos e abordagens a cada território.

Sobre outras características do próximo período letivo, Velázquez Cobiella mencionou que estará marcado – grosso modo – pelos processos de avaliação internacional da qualidade, o acompanhamento e o aprofundamento do trabalho preventivo, a necessidade de continuar avançando no atendimento à população, a capacitação do claustro e os diretivos, a orientação aos docentes sobre o emprego das novas tecnologias e o trabalho nas escolas pedagógicas, «a projeção de maior alcance estratégico de todo o SNE».

Informou, ainda, que na etapa vindoura iniciará a formação de professores para o ensino de segundo grau, com nível médio superior nas escolas pedagógicas, a partir das necessidades e demandas dos territórios.

«Temos que empenhar-nos em cuidar de nossos claustros de professores… há que escutá-los, dialogar, atualizá-los no desempenho de cada território, ocupar-se de melhorar paulatinamente as condições de trabalho, em conseguir ambientes favoráveis em cada instituição de trabalho e fazer cumprir os programas de atenção e estimulação aos docentes, aprovados nas assembleias e conselhos da administração do Poder Popular», expressou.

No seminário participaram Olga Lidia Tapia, membro do secretariado do Comitê Central do Partido; José Ramón Saborido Loidi, ministro da Educação Superior; Ismael Drullet Pérez, secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Educação, a Ciência e o Esporte; Miguel Barnet, presidente da União dos Escritores e Artistas de Cuba, bem como representantes das organizações juvenis e a Associação de Pedagogos de Cuba.