ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Jose M. Correa

«HÁ 32 anos terminei meus estudos aqui na pátria cubana e agora é uma grande alegria vir na minha condição de presidente da República de Seychelles», disse em 25 de abril, o presidente desse país, Danny Faure, na sua chegada a Havana, com motivo de uma visita oficial.

«Fortalecer relações entre Cuba e Seychelles constitui um dos objetivos desta visita», expressou o mandatário dessa nação africana, quem foi recebido no aeroporto internacional José Martí pelo vice-chanceler cubano Rogelio Sierra.

Faure terá conversações com autoridades nacionais e realizará outras atividades, como a abertura da Embaixada de Seychelles nesta capital, de acordo com a informação oferecida pela chancelaria cubana.

Referindo-se à difícil etapa vivida após o falecimento do Comandante-em-chefe Fidel Castro, indicou que «o povo cubano é um grande povo, lutador, combativo».

Agradeceu a ajuda de Cuba a Seychelles na cooperação médica e a notável influência da nação antilhana no avanço do país africano nessa área.

Filho de pais seychellenses e nascido em 1962 em Kilembe, Uganda, Faure ocupou a vice-presidência do país em julho de 2010. Então foi nomeado, igualmente, titular das pastas de Finanças e Comércio, Administração Pública e Tecnologias da Informação e a Comunicação.

Seis anos mais tarde, em 16 de outubro de 2016, assumiu o cargo de presidente da República de Seychelles, depois da demissão do então presidente James Alix Michel.

Cuba e Seychelles estabeleceram relações diplomáticas em 12 de abril de 1978.