ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Juvenal Balán

Fortalecer a capacidade do país para lidar com terremotos e furacões, secas de grande magnitude e eventos notáveis de origem ​​sanitária será o principal objetivo da realização do simulacro ou exercício popular para ações em casos de desastres Meteoro 2017, no próximo sábado 20 e domingo 21 de maio.

Como foi informado durante um encontro com a imprensa presidido pelo general-de-divisão (r) Ramon Pardo Guerra, chefe do Estado-Maior Nacional da Defesa Civil, e o coronel Luis Ángel Macareño, vice-chefe da instituição, no primeiro dia os corpos direção e controle em todos os escalões examinarão os perigos apreciados, os resultados da troca de informações com as entidades responsáveis pela vigilância e monitoramento e a operação dos sistemas de alerta precoce.

Prevê-se, também, ativar a Rede Nacional de Emergências da Federação de Rádio Amadores de Cuba e avaliar o trabalho da fase de recuperação, incluindo a reabilitação e reconstrução e as projeções para 2018.

No segundo dia do exercício Meteoro 2017 terão lugar ações práticas encaminhadas a reduzir as vulnerabilidades que envolvem comunidades e locais de trabalho.

Os Conselhos de Defesa Municipal em correspondência com a ideia geral do exercício, os resultados e implementação dos estudos de perigo, vulnerabilidades e riscos, bem como a situação em cada localidade, farão os ajustes necessários, tendo em conta as particularidades das contingências a considerar os diferentes territórios.

De acordo com a previsão, preparada pelos pesquisadores Ramón Pérez Suárez e Cecilia González, do Instituto de Meteorologia, a próxima temporada de furacões (a partir de junho) na bacia do Atlântico tropical, que inclui, ainda, o Golfo do México e o Mar do Caribe, indica que poderá ter um comportamento normal, esperando-se a formação de dez eventos meteorológicos, dez dos quais podem se tornar furacões.

Além do número provável de sistemas tropicais que possam surgir para toda a nossa área geográfica de interesse, a chave está em estarmos prontos e tomar medidas oportunas para proteger a vida e as propriedades da economia e das pessoas.