ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

DAQUI a pouco, a primeira aplicação no país do Heberprot-P completará dez anos (começou como um teste piloto na província de Sancti Spíritus, em junho de 2007), hoje, somam mais de 65 mil os pacientes cubanos de todas as províncias beneficiados com o uso do medicamento Heberprot-P.

Criado por uma equipe de pesquisadores do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), consiste em um produto único no mundo, produzido para o tratamento das úlceras do pé diabético em fase avançada, pois acelera a cicratização das lesões e permite reduzir significativamente o risco de amputação dos membros inferiores em quase 80% dos casos atendidos.

Registrado em mais de 20 nações, o fármaco possui uma patente premiada com a medalha de ouro da Organização Mundial da Propiedade Intelectual (OMPI) e em nível internacional um estimado de 250 mil pessoas são favorecidas por esta solução terapêutica contra uma lesão que até o surgimento do Heberprot-P, não existia opções efetivas de tratamento.

A especialista em comunicação do CIGB, Iris Lugo, expressou ao jornal Granma que entre 11 e 12 de maio, no hotel Riviera da capital se realizará o 19º Encontro Nacional e Extensão do Programa do Atendimento Integral ao Paciente com Úlcera do pé Diabético com o uso do Heberprot-P.

Promovido pelo Ministério da Saúde Pública em parceria com o CIGB, no evento assistirão mais de 250 especialistas em Angiologia e Cirurgia Vascular, os quais, entre outros temas, analisarão o comportamento desse programa e seus principais indicadores.