ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

HAVANA.– «Cuba tem uma sociedade civil forte e organizada, com presença em todos os âmbitos da vida do país», assegurou Fermín Quiñones Sánchez, presidente da Associação Cubana das Nações Unidas (ACNU).

Em uma entrevista exclusiva com a Agência Cubana de Notícias, a propósito das sete décadas da fundação da ACNU, Quiñones Sánchez destacou os desafios da associação, entre os que está somar mais organizações da sociedade civil ao conglomerado de 105 com as que trabalham, entre elas ONG e associações.

A Associação Cubana das Nações Unidas é uma organização não governamental, sem fins de lucro, que agrupa sobre uma base voluntária pessoas naturais e jurídicas, genuinamente interessadas em conhecer e participar da gestão das Nações Unidas.

Disse que a associação respalda a independência e soberania de Cuba e apoia o caminho empreendido para o desenvolvimento econômico da nação.

A ACNU foi crescendo no número dos membros porque se bem nasceu entre a intelectualidade, posterior ao triunfo da Revolução, continuou incorporando associações e instituições de prestígio dentro da sociedade, centros científicos e acadêmicos que vieram complementar a associação, recalcou o presidente.

Uma das fortalezas da ACNU, expôs Quiñones Sánchez, é o trabalho com o resto da sociedade civil em temas de interesse para a Ilha, no âmbito das Nações Unidas, como a denúncia da injusta política de bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos contra Cuba e as afetações ao seu povo. (ACN)