ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
A reitora do Instituto Pushkin, doutora Margarita Rusetskaya, e o reitor da Universidade de Havana, doutor Gustavo Cobreiro Suárez, inauguraram a Cátedra de Língua Russa do Instituto Pushkin da Universidade de Havana. Photo: ACN

«TEMOS certeza de que esta reunião de reitores contribuirá para estreitar os vínculos entre as instituições de ambos os países e coadjuvará ao aperfeiçoamento do sistema educacional cubano».

Com estas palavras do ministro da Educação Superior, doutor José Ramón Saborido Loidi, foi inaugurada a 3ª Reunião de Reitores entre a República de Cuba e a Federação Russa, evento que teve sessões em Havana nos dias 22, 23 e 24 de maio.

No encontro de representantes de casas de altos estudos participaram, também, funcionários do Ministério da Educação Superior da Ilha, bem como diretores de institutos e instituições de um e outro lado.

Na primeira sessão de trabalho estiveram presentes o embaixador da Federação Russa, Exmo sr. Mikhail Kamynin; o ministro conselheiro da embaixada da Federação Russa, Serguey Reshchikov; o reitor da Universidade Estatal de Moscou M. V. Lomonosov, doutor Víctor Sadovnichi; e pela parte cubana o vice-ministro da Educação Superior, Oberto Santín Cáceres.

No ano 2010, realizou-se a 1ª Reunião de Reitores Cuba-Rússia, onde se concordou realizar estes encontros a cada dois anos, alternando a sede.

O programa do encontro de 2017 incluiu a assinatura de convênios de colaboração encaminhados a favorecer a mobilidade estudantil e do claustro de professores, os projetos combinados de colaboração, as publicações científicas, os programas de mestrados e doutorados de dupla titulação, a troca bibliográfica e a participação em eventos combinados.

Nestes acordos participam as universidades de Havana, Granma, Holguín, Artemisa. Em mais de seis convênios intervem a Universidade Lomonosov. Também participam a Universidade Federal do Sul e a Universidade de Amizade com os Povos.

FAZENDO UM POUCO DE HISTÓRIA

A colaboração entre Cuba e Rússia no âmbito da educação superior remonta à década de 1960 do século 20. Durante aproximadamente 30 anos (1965-1993) 16.372 cubanos se formaram em centros de educação superior na União Soviética, deles mais de 3 mil doutores.

A cooperação continuou nos anos posteriores. Na década de 1990, ambos os países assinaram um Convênio Intergovernamental que, entre outros âmbitos, abrangia o ensino superior. Posteriormente, foram assinados programas de colaboração.

Já no novo milênio o Ministério da Educação Superior da Ilha priorizou o fortalecimento dos laços de colaboração com a Federação Russa, o que se manifesta em encontros em nível ministerial e a tomada de importantes acordos, como a concessão de 100 bolsas anuais por parte do governo russo na base do orçamento estatal, o fortalecimento do ensino do russo em Cuba, bem como o restabelecimento da colaboração na nanotecnologia, as tecnologias da informática e as comunicações e o meio ambiente, entre outros setores.

Atualmente, 161 bolsistas cubanos estudam em universidades da nação euro-asiática. Entre os acordos das comissões intergovernamentais Cuba-Rússia estão organizar um curso de russo que seja ministrado pela televisão cubana e introduzir, novamente, este idioma nas escolas primárias e secundárias, como primeira ou segunda língua estrangeira.

CÁTEDRA PUSHKIN

No âmbito da 3ª Reunião de Reitores Cuba-Rússia foi inaugurada, na Faculdade de Línguas Estrangeiras, da Universidade de Havana (UH) a Cátedra de Língua Russa do Instituto Pushkin.

Esta entidade docente, metodológica e científica está encaminhada a contribuir para o desenvolvimento da russística na Ilha Maior das Antilhas. A iniciativa é resultado dos acordos de cooperação, em termos de educação, estabelecidos ao mais alto nível entre as partes, em 2016.

Na cerimônia de abertura participaram o doutor José Ramón Saborido Loidi e o doutor Gustavo Cobreiro Suárez, reitor da UH.

Representando a Federação Russa, marcaram presença a reitora do Instituto Pushkin, doutora Margarita Rusetskaya e o embaixador Kamynin.

Durante a abertura o doutor Cobreiro Suárez ressaltou o simbolismo especial do novo espaço. «Muitos de nós estudamos na Rússia. Parte de nossa formação é devida à solidariedade do povo russo com o povo cubano. Uma parte importante do potencial científico de Cuba se formou nesse país», declarou.

O estudo do russo se manteve na Faculdade de Línguas Estrangeiras da UH, onde atualmente 80 estudantes se formam como especialistas deste idioma.

Durante a cerimônia de inauguração a doutora Margarita Rusetskaya ressaltou: «Queremos que a língua russa esteja mais uma vez em Cuba e este é um passo bem importante, não apenas para nosso instituto, também para nosso governo».

Saborido Loidi manifestou a certeza de que «nossos colegas da Faculdade (de Línguas Estrangeiras n.r.) farão o esforço máximo por que se estude e se aprenda corretamente a língua russa». E ressaltou: «Admiramos o nível acadêmico e científico das instituições russas.»

Por seu lado, o embaixador russo apontou: «Hoje as relações entre nossos países se desenvolvem de forma muito dinâmica. Temos grande projetos em diversas áreas e devemos trabalhar nestes projetos, por isso precisamos de especialistas cubanos que falem russo».

Na cerimônia também se divulgou que a inauguração da cátedra Pushkin na Universidade de Havana é um bom começo para a abertura de salas de aulas de russo nas universidades de todas as províncias de Cuba.