ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Anabel Díaz

PINAR DEL RÍO.– Com uma taxa de 1,9 em cada 1 000 nascidos vivos Pinar del Río mantém, durante o ano 2017, os melhores resultados do país nesse importante indicador de saúde.

O número implica uma melhoria relativamente ao conseguido no ano passado (2,1) e que em seu momento constituiu um recorde para a província, onde antes do triunfo da Revolução a taxa estimada era de ao menos 60,5.

María Teresa Machín, chefa do Programa Materno Infantil (PAMI) no território, assegurou ao jornal Granma que isso foi possível graças ao trabalho constante do sistema de atendimento primário no qual intervêm os médicos e enfermeiras da família, os pediatras, clínicos e obstetras dos grupos básicos de saúde, os seis lares maternos com que conta a província e a rede de genética médica que abrange todos os municípios.

Ainda, da adequada integração com o atendimento secundário, onde foram decisivos os serviços de Neonatologia do hospital Abel Santamaría e a unidade de tratamento intensivo do hospital pediátrico Pepe Portilla.

A diretora do PAMI destacou que nos últimos cinco anos, a taxa de mortalidade infantil dessa província foi diminuindo gradualmente, e que em duas ocasiões resultou a mais baixa do país.

Com mais de 2.500 nascimentos de janeiro até à data são sete os municípios de Pinar del Rio que mantêm em zero esse indicador.

A taxa de mortalidade materna também permanece em zero.