ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Ismael Batista

Após quase dois meses de descanso das salas de aulas, as atividades do verão chegam a seu fim nesta sexta-feira, 1º de setembro, na capital, tendo como palco oficial toda a Avenida 23, desde a rua 12 até o Malecón, colorida de novo pelos livros, a música e a arte.

Os espaços onde parar a tomar um lanche ou «degustar» também a leitura de algum livro adquirido sobram, se se leva em conta que 35 pontos de venda estarão à disposição de um público que poderá acessar a publicações de umas 40 editoras que, como se sabe, estão identificadas por seus respectivos perfis.

Lugares de culto desta zona de Havana, como o Parque do Quixote, a esquina das ruas 23 e H, as salas de cinema Riviera e Yara, o Centro Cultural Fresa y Chocolate, a Tribuna Antiimperialista e outros recantos serão palco de lançamento de livros, atividades para crianças de jovens, recitais de poetas, concertos, palestras e muitas outras opções.

Estarão presentes escritores da categoria de Lina de Feria, Marilyn Bobes, Víctor Fowler, Edel Morales, Teresa Fornaris, Milho Montenegro e outros.

Diversas instituições patrocinam e organizam estas atividades, como a União dos Jovens Comunistas, diversas casas editoras, como Extramuros, Gente Nueva, Letras Cubanas, Nuevo Milenio, o Centro Provincial do Livro e a Literatura, e a casa editora da Organização Nacional de Cartórios Coletivos.

Nas lojas da rede Artex, das ruas L e 23, estarão à venda, tal como no Pavilhão Cuba, material e úteis escolares altamente demandados para o novo ano letivo.

A música também marcará presença com recitais de trovadores, orquestras, grupos, etc.