ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Mestre em Ciências Niurka Margarita Carlos Pías, diretora do Centro de Imunoensaio. Photo: Yander Zamora

A inícios da década de 1970, um grupo de médicos, sob o guia do doutor José Luis Fernández Yero, começou a trabalhar no design de uma tecnologia que pudesse fazer o diagnóstico pré-natal de malformações congênitas, sem risco para a mãe, nos laboratórios do Centro Nacional de Pesquisas Científicas (CNIC, sigla em espanhol).

O objetivo era dotar o país de um sistema capaz de encontrar, nos inícios da gravidez, a presença no feto de algumas dessas anomalias com marcante incidência na mortalidade infantil.

Os resultados preliminares do novo projeto (já no fim de 1978 dispunham de uma técnica própria, que permitia fazer o diagnóstico das deformações mais severas em amostras de líquido amniótico) foram apresentados em uma exposição, realizada em julho de 1981, no Palácio da Revolução, dedicada a refletir diversos desenvolvimentos científicos aplicados à Medicina.

Como contou ao Granma Internacional o doutor Fernández Yero, ali tiveram a oportunidade de explicar ao Comandante-em-chefe Fidel Castro o trabalho que vinham realizando, inclusive mostraram-lhe fotos de crianças nascidas com diferentes tipos de deformações.

Depois de observá-las em silêncio por alguns segundos, o máximo líder da Revolução expressou: «Um só destes casos que seja detectado e possa ser evitado, vale a pena todo o esforço que se faça».

De imediato, orientou validar o procedimento e espalhá-lo por cada recanto do país. Assim, sob sua permanente orientação, no ano seguinte nasceu o Sistema Ultramicroanalítico, conhecido por Tecnologia SUMA.

Se bem os primeiros equipamentos e programas de computação surgiram no CNIC, os favoráveis resultados das análises praticadas conduziram a que, em janeiro de 1986, se aprovasse construir uma nova instituição, capaz de assumir a produção, em escala industrial, dos regentes e tecnologias requeridas.

Edificado em apenas 19 meses, em 7 de setembro de 1987, Fidel inaugurava o Centro de Imunoensaio (CIE), com a missão de impulsionar o design e produção de tecnologias para a pesquisa em massa de diferentes doenças.

Com a certeza plena de suas enormes potencialidades, o Comandante-em-chefe escreveu, naquele dia, no livro de visitantes da instalação: «Este centro é uma verdadeira joia da qual nos sentimos orgulhosos. Parabéns a todos seus trabalhadores. Nosso povo espera muito deles».

CRUZADA PELA VIDA

Fundadora e diretora-geral do CIE há cinco anos, a mestre em Ciências Niurka Margarita Carlos Pías, afirma que o maior avanço da entidade está em ter trabalhado durante trinta anos em favor da saúde de nosso povo, com relevantes contribuições científicas de grande impacto social.

Ressaltou que, atualmente, o Centro de Imunoensaio constitui um suporte tecnológico fundamental de importantes programas nacionais de saúde, como é o de atendimento materno infantil.

«Por exemplo, mediante a utilização da Tecnologia Suma o país pôde realizar os testes para o diagnóstico precoce do hipotiroidismo congênito a todas as crianças cubanas, a partir de 1986. No fechamento de 2016 somava 3.957.923 o número de bebês estudados, dos quais 917 tinham a doença».

«Uma vez confirmado que apresentavam a doença, em seguida recebiam o tratamento médico indicado, evitando assim que crescessem com atraso mental severo (cretinismo). Hoje a maioria deles desenvolve uma vida normal e estão incorporados à sociedade», asseverou a diretora do CIE.

É justo mencionar que Cuba foi a segunda nação da América em ter um programa completo de hipotiroidismo congênito em recém-nascidos, depois do Canadá e primeiro que os Estados Unidos.

Sobressaem, igualmente, os resultados atingidos no diagnóstico pré-natal de deformações congênitas (programa cubano de alfa-feto proteína), mediante o qual foram estudadas, entre 1982 e dezembro de 2016, um total de 4.349.951 grávidas, detectando-se 8.842 deformações incompatíveis com a vida.

O anterior permitiu a interrupção da gravidez, sempre que o casal assim o determinasse e representou uma contribuição significativa na redução da taxa de mortalidade infantil e sua manutenção dentro das mais baixas em nível internacional. Vale apontar, também, que nosso país se converteu no segundo do mundo em pôr em andamento um programa completo de alfa-feto proteína.

Pertencente ao grupo empresarial BioCubaFarma, o CIE tem 418 trabalhadores e conta com 26 tipos de estojos de reagentes ou kits para diagnosticar 19 doenças diferentes, que junto às já mencionadas incluem a hepatite B e C, HIV, dengue, fibrose cística, doença de Chagas e lepra, por mencionar algumas.

O número de laboratórios com Tecnologia SUMA em Cuba é neste momento 1.562: entretanto, 546 funcionam no exterior, fundamentalmente em nações da América Latina e Ásia.

Segundo precisa a mestre em Ciências Niurka Margarita, o câncer e as doenças crônicas não transmissíveis são hoje temas de máxima prioridade nas pesquisas do Centro de Imunoensaio, levando em conta que ocupam lugares proeminentes dentro das principais causas de morte em Cuba.

Os esforços fundamentais são dirigidos à procura e desenvolvimento de novos procedimentos para a detecção precoce de algumas delas, a fim de aumentar as possibilidades de mantê-las sob controle e diminuir de forma significativa a mortalidade.

Figuram na relação os glicômetros e biossensores desenvolvidos ali para medir o nível de glicemia em sangue, o que facilita a autoanálise do paciente diabético em sua própria casa e o teste denominado UMELISA Microalbumina, para a prevenção da insuficiência renal crônica.

Esta última tecnologia já foi utilizada por 187 laboratórios SUMA, distribuídos ao longo de nosso arquipélago em 2016.

Também sobressai a análise UMELISA PSA, de muita utilidade no diagnóstico precoce do câncer de próstata (estendido às 15 províncias e o município especial Ilha da Juventude), o teste rápido para a detecção específica de hemoglobina humana oculta em fezes SUMASOHF, um fator preditivo do câncer de cólon, além do sistema SUMASCOPE, dirigido a melhorar a qualidade na pesquisa e a capacidade de diagnóstico precoce e tratamento do carcinoma cêrvico-uterino.

Cada equipamento, tecnologia, kits e outros produtos da instituição foram concebidos com capacidade intelectual própria. Graças a sua introdução e generalização puderam salvar-se muitas vidas e se evitou o desenvolvimento de terríveis doenças nas crianças, proporcionando felicidade e sossego a incontáveis famílias cubanas. Impossível medir em dinheiro o impacto de tantos benefícios humanos e sociais.

Para Niurka dirigir o Centro de Imunoensaio representa um compromisso maior, pois se trata de conseguir que o coletivo de trabalhadores não diminua um ápice sua condição ser fiéis continuadores da missão encomendada a eles por Fidel: fazer sempre ciência a favor do bem-estar da população.