ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

O presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, parabenizou os membros da Contrainteligência Militar (CIM) em um ato celebrado em 6 de novembro na capital, em que foi lembrado o 55º aniversário desse órgão das Forças Armadas Revolucionárias (FARs).

Durante o ato político e cerimônia militar, o general-de-exército instou os elementos da Contrainteligência a continuar preservando o profissionalismo e fidelidade que os carateriza, a segurança das Forças Armadas e a obra da Revolução.

O general-de-brigada José Miguel Gómez del Vallín, segundo chefe do comando desse órgão da Segurança do Estado, nas palavras centrais do ato, efetuado na Escola Militar Superior Comandante Arides Estévez, em Havana, lembrou que este é o primeiro aniversário desse corpo especializado sem a presença física do Comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz.

Para o jovem capitão Miguel Álvarez Vargas, fazer parte da CIM é uma alta honra e um privilegio, pelo trabalho de prevenção e enfrentamento às atividades inimigas e delituosas, pela proteção a dirigentes, oficiais e ao povo cubano.

«Por isso, deixo escutar a minha voz pelos jovens que constituímos o passado, o presente e o futuro desta Revolução; falo por aqueles que não perderam o espírito de sacrifício, a motivação e o valor e que hoje estamos ao serviço de nosso país», disse o jovem.

Durante o ato, o general-de-corpo-de-exército Álvaro López Miera, vice-ministro Primeiro das FARs, entregou um diploma de reconhecimento à Contrainteligência Militar, assinado pelo ministro das Forças Armadas Revolucionárias, o qual foi recebido pelo vice-almirante Julio César Gandarilla Bermejo, chefe dessa instituição.

Em nome da CIM, o vice-almirante entregou um diploma de reconhecimento ao general-de-exército Raúl Castro Ruz, fundador desse órgão da Segurança do Estado, por organizar, orientar e dirigir o trabalho da Contrainteligência Militar desde a sua criação, em 7 de novembro de 1962.

Marcaram presença na homenagem chefes e oficiais das FARs, do Minint e da Contrainteligência Militar e um grupo de fundadores, aposentados e familiares de mártires deste órgão.