ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
A Pasta de Oportunidades foi lançada durante a 35a Feira Internacional de Havana.

«TRANSFORMAR a economia de maneira soberana e alcançar uma sociedade próspera, eficiente e sustentável é o propósito de Cuba. Para isso, o investimento estrangeiro constitui uma fonte de desenvolvimento fundamental e parte essencial da estratégia que o país vem implementando», assegurou o ministro do Comércio Exterior e o Investimento Estrangeiro, Rodrigo Malmierca Diaz durante o lançamento da nova Pasta de Oportunidades para o investimento estrangeiro 2017-2018, na 35ª edição da Feira Internacional de Havana.

Neste ano, Cuba aprovou no Parlamento, as bases para elaborar o Plano Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social até 2030. Esta pasta que é muito mais integral do que as anteriores, é dividida em diferentes setores, de acordo com as bases deste plano.

A ZEDM será a sede de 29 dos novos projetos de investimento estrangeiro.

«Hoje o investimento estrangeiro deixa de ser um complemento para se converter em um ente essencial para o país. O trabalho concentra-se em incrementar a diversidade das pastas anteriores, em correspondência com as políticas gerais e setoriais que já foram aprovadas.

«Estamos transformando nossa economia, atualizando nosso modelo; temos definido quais são os eixos e os setores estratégicos, e é preciso levar em conta tudo isso, tendo bem presente o investimento do capital estrangeiro. Esta pasta é um reflexo dessas prioridades que estão identificadas nas bases para a elaboração do Plano», insistiu o ministro do Comércio Exterior e o Investimento Estrangeiro.

Desta vez se incorporam 156 projetos, com um montante de investimento de US$ três bilhões, dos quais 29 se desenvolvem na Zona Especial de Desenvolvimento Mariel. Por outra parte, adequam-se os montantes de investimento para 22 projetos e se retiram outros já concretizados ou que estão em fase avançada de negociação.

No setor bancário financeiro se ampliam projetos encaminhados à atividade dos seguros e se atualiza a política setorial, com o objetivo de desenvolver novos produtos e serviços, em benefício do mercado cubano, os que, ao mesmo tempo, possam ser exportados. Ainda, amplia-se a política para o setor hidráulico, a partir da situação de seca no país.

A seguir, os diferentes setores e os principais projetos que serão desenvolvidos.

Setor da indústria - 33 projetos: Produção e comercialização de condutores elétricos, de estruturas metálicas, manejo de um sistema integrado de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos. Produção de lâmpadas LED, de material descartável de uso médico, de vidro plano e suas manufaturas, a se desenvolver na Zona Especial de Desenvolvimento Mariel (ZED Mariel).

Setor Agrícola, Florestal e Alimentar - 104 projetos: Reprodução de suínos para a comercialização de produtos acabados deste animal. Desenvolvimento e produção de vegetais frescos em estufas, com destino para a exportação e o mercado interno em divisas. Criação de um centro de elaboração de alimentos e serviço de catering na ZED Mariel. Projeto integral para a cria de gado bovino em estábulos, com capacidade para cinco mil cabeças. Produção e comercialização de café convencional de qualidade superior.

Setor Açucareiro - 7 projetos: Vários relacionados com a administração de usinas açucareiras, incorporando a geração de eletricidade como um subproduto importante. Produção de derivados da cana de açúcar com uma destilaria com capacidade de produzir álcool, de 200 mil litros por dia. Alargamento e modernização de fábricas de rum. Modernizar e incrementar o alcance de fábricas de caldeiras.

Setor do turismo - 152 projetos: Construção e comercialização de capacidades em hotéis e vilas de alto padrão em várias regiões. Contratos de administração e comercialização de hotéis. Contrato para a administração de marinas. Criação de uma rede de centros de pesca e mergulho em áreas protegidas, do parque aquático de Havana, de um parque de natureza e aventura em Abra de Canasí, bem como o estabelecimento de um clube equestre internacional.

Setor da Energia - 13 projetos: São prioritários e estão em função do desenvolvimento da produção de energia, a partir de fontes renováveis. Entre eles estão os parques eólicos, 11 projetos em usinas bioelétricas e parques solares fotovoltaicos de 100MW, com 50MW de acumulação.

Setor da Mineração - 10 projetos: Reconhecimento ou pesquisas geológicas (prospecção-exploração) a risco para metais preciosos (ouro, chumbo, zinco) e outros minérios de interesse, em várias regiões.

Setor dos Transportes - 8 projetos: Dois projetos de serviços de reparação e manutenção a embarcações navais. Operação e administração de Estaleiros em Casa Blanca. Obras de dragagem e recuperação de praias. Projetos para remodelação do estaleiro da baía de Cabañas e serviço de aluguel de carros ligeiros, em função dos usuários da ZED Mariel.

Setor indústria farmacêutica e biotecnológica - 15 projetos: Incluem a produção de vacinas para o tratamento do câncer, laboratórios de derivados do sangue, materiais biológicos; produção de citostáticos, pílulas anticoncepcionais, orais e hormônios e vacinas aviares.

Setor Saúde - 2 projetos: relacionados com os serviços de qualidade de vida, a criação de uma clínica internacional de medicina do esporte, controle e educação antidoping.

Setor construção - 14 projetos: Modernização de sistemas de engenharia para a construção e montagem. Serviço de reparação capital de equipamentos da construção, aluguel, manutenção e reparação de equipamentos da construção e içagem e o incremento das potencialidades no mármore, estes dois últimos na ZED Mariel.

Setor comércio - 4 projetos: Operador Logístico para a Gestão das Redes de Fornecimento de Alimentos Refrigerados. Comercialização por atacado de tecidos, mercearia, acessórios e confecções têxteis.

Setor hidráulico - 7 projetos: Modernização da produção de peças, acessórios manipulados e outros elementos plásticos. Serviços de perfuração de poços profundos. Administração da produção de tubulações lisas o corrugadas. Serviços de hidrogeologia, aplicada ao controle do lençol freático.

Setor da cultura - 2 projetos: Relacionados com as possibilidades de promover e comercializar os produtos e serviços neste âmbito.

Setor audiovisual - 3 projetos: Construção e montagem tecnológica de um foro para a produção e coprodução de material audiovisual em alta definição. Estabelecimento de um sistema de canais de pagamento para a televisão nacional. Informática e meios audiovisuais para a educação.

Setor petróleo - 78 projetos: Exploração petroleira a risco e produção compartilhada em blocos de águas profundas, na Zona Exclusiva de Cuba no golfo do México. Recuperação secundária em jazidas em exploração.

Setor imobiliário - 1 projeto: Construção e gestão de hangares do tipo standar na ZED Mariel.

Setor logístico - 1 projeto: Construção e operação de instalações e serviços logístico-integrais na ZED Mariel.

«No total esta pasta conta de 456 projetos, por um montante de capital ascendente a US$ 10,7 bilhões (10.700.000.000). Os projetos encontram-se distribuídos por todo o país e se corresponde com as bases do Plano Nacional de Desenvolvimento até 2030», assegurou Malmierca Diaz.

«Neste momento, encontram-se na fase de negociação 80 projetos com possibilidades reais de se concretizarem, deles 15 estão em uma fase muito avançada de negociação e poderiam vir a ser aprovados antes de o ano findar, para um montante de investimento superior a um bilhão de dólares», afirmou Malmierca.

A partir da promulgação da Lei do Investimento Estrangeiro, em 2014, até o momento, foram aprovados 22 reinvestimentos, 25 novos negócios na Zona Especial de Desenvolvimento Mariel e 85 mais fora dela, assinados com companhias de mais de 20 países.

Em sua apresentação, o ministro do Comércio e o Investimento Estrangeiro explicou as vantagens de investir em Cuba. Referiu-se à importância de contar com uma política geral e setorial bem definida, além de um corpo legal seguro e transparente que propicie um clima estável para o pessoal estrangeiro.

Ainda, acrescentou a relevância da posição estratégica da Ilha, o fato de contar com uma política governamental que prioriza a inovação e as pesquisas e a manutenção de uma infraestrutura básica que permite, a qualquer investidor, desenvolver-se no mercado cubano.

Para que a economia cubana cresça de forma dinâmica são necessárias taxas de acumulação superiores a 20%, o que requer da presença de um capital estrangeiro de uns dois bilhões de dólares ao ano. Conseguir isso não é questão de um dia, precisa ser criado um ambiente empresarial e comercial atraente para o investimento estrangeiro e isto somente é possível colocando-o como uma fonte essencial nos planos futuros de Cuba.