ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

Mais de oito milhões de cubanos e cubanos são convocados para participar, no próximo domingo 26 de novembro, das eleições dos delegados às assembleias (governos) municipais do Poder Popular, como foi reiterado na quinta-feira, 23 de novembro, no programa da televisão Mesa Redonda, por Alina Balseiro Gutiérrez, presidenta da Comissão Nacional Eleitoral (CEN).

Durante seu discurso, Alina destacou que o processo de indicação dos candidatos teve um equilíbrio favorável, com a participação de mais de seis milhões de cubanos nas assembleias do bairro — superior ao processo anterior — e a realização de mais de 60.800 propostas.

«Dos 27 221 candidatos indicados, 35,4% são mulheres, disse Balseiro Gutiérrez, e 19,4 jovens. Os candidatos predominantes têm níveis de educação secundária e superior prevalecem e os que trabalham nos setores da produção e serviços, bem como administrativos, embora haja uma representação do setor não estatal.

Ele ressaltou que os reajustes ao cronograma de eleições, devido aos estragos de Irma, permitiram às autoridades eleitorais — cerca de 200 mil pessoas em todo o país — se prepararem mais, criarem condições superiores e convocarem melhor as pessoas. E se algo precisa ser destacado, ele disse, é o treinamento extensivo que teve lugar em cada uma das etapas.

Quanto aos resultados do teste dinâmico, ela comentou que foram identificadas as dificuldades relacionadas à eletricidade, transporte e algumas ausências das autoridades eleitorais. No entanto, disse que na quarta-feira, 22, houve um exame dos problemas detectados e todos foram resolvidos, por isso é possível garantir que o país esteja pronto para o dia da eleição.

Sobre o trabalho das autoridades eleitorais, Alina Balseiro destacou a ação transparente, com apego à verdade, sua responsabilidade na orientação aos eleitores e chamou a atenção para a importância de que as mais de 24.300 escolas abram às 7 horas da manhã.

E recomendou ao povo ler as biografias dos candidatos, verificar sua existência nas listas de eleitores, votar cedo e por um único candidato e não escrever qualquer frase que possa anular a cédula.

«Este domingo será uma celebração da democracia em Cuba; será uma nova vitória», concluiu.

Por sua parte, Carlos Rafael Miranda Martínez, coordenador nacional dos Comitês para a Defesa da Revolução (CDRs), disse que «a organização está envolvida nos preparativos para o 9º Congresso e concebemos o processo eleitoral como uma etapa adicional na preparação deste evento. Para isso, trabalhamos no fortalecimento das estruturas de base e no apelo, a partir do bairro, para participar da votação».

Como parte das atividades, Miranda Martínez continuou, houve discussões de bairro, ações de saneamento, confecção e preparação das assembleias de voto.

Também pediu a participação das CDR no escrutínio e expressou que as estruturas básicas de cada comissão supervisionarão o processo na íntegra. «O voto comprometido, disse ele, será o melhor tributo ao Comandante-em-chefe».

Do mesmo modo, a membro do Bureau Político e secretária-geral da Federação das Mulheres Cubanas, Teresa Amarelle Boué, fez um reconhecimento a todas as autoridades eleitorais que são mulheres, em torno de 69%.

Ele enfatizou que este é um processo que as mulheres cubanas seguem desde o final do anterior, acompanhando os delegados de cada circunscrição na solução de problemas comunitários, juntamente com o resto das organizações.

«Se um setor de nossa sociedade vai às eleições no domingo é a mulher cubana, e vamos no domingo para mostrar nosso apoio à continuidade da Revolução», afirmou.

Em 63,5% das circunscrições eleitorais tem pelo menos uma mulher indicada, que é um endosso ao trabalho e ao reconhecimento das mulheres. No primeiro processo eleitoral, as mulheres eram apenas 8%. Acreditamos que temos todo o potencial para que todos os dias haja mais mulheres representando o nosso povo nas assembleias municipais do Poder Popular», concluiu Teresa Amarelle.

Para Raúl Alejandro Palmero Fernández, presidente da Federação Universitária de Estudantes (FEU), a participação de organizações de estudantes e de massa em todas as comissões de candidatura em todos os níveis também é uma característica única do nosso sistema eleitoral.

Portanto, mais de 12 mil jovens funcionários da Federação de Estudantes de Ensino Secundário e da FEU, levaram com entusiasmo e aceitação a tarefa de serem colaboradores do processo eleitoral que acontecerá no país no próximo domingo, disse Palmero durante a sua intervenção.

Em 26 de novembro, «os jovens supervisionarão cada colégio eleitoral para garantir a legalidade, transparência e qualidade do processo, bem como o cumprimento dos princípios do nosso sistema eleitoral e político e o respeito pelas normas regulatórias estabelecidas pela Comissão Nacional Eleitoral», acrescentou.

A presença em massa nesta indicação «é um sinal de que podemos continuar contando com a juventude nas tarefas de primeiro nível no país».

Palmero também convocou «a todos os jovens cubanos a se juntar no tweet ao qual a Comissão Eleitoral nos convida, no dia 24 de novembro, das 10h00 às 13h, sob os hashtags #PorCuba e #Cuba, para que isso possa ser também um movimento em massa e mostrar ao mundo a alegria com que os cubanos vão votar».

Um ano atrás, nós juramos fidelidade e compromisso com esse conceito de Revolução, um testamento político que Fidel nos legou. A melhor maneira de honrar sua figura durante este primeiro aniversário de seu desaparecimento físico será invadindo as urnas eleitorais, em 26 de novembro», disse.

A Federação de Estudantes Universitários também «garantirá a participação de 300 mil jovens», ressaltou ele, «que pela primeira vez no domingo eles exercerão seu direito de voto».

No final de seu discurso, Raúl Alejandro Palmero instou os jovens a participar da noite política cultural que acontecerá na escadaria da Universidade de Havana, no sábado 25 de novembro, em homenagem à figura do Comandante-em-chefe e à espera do processo eleitoral que ocorrerá no país no próximo domingo.