ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA
Photo: Estudio Revolución

SANTIAGO DE CUBA.─ O presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, liderou, em 4 de dezembro, a cerimônia de homenagem ao líder histórico da Revolução Cubana, Comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz, ao completar-se um ano depois que suas cinzas fossem depositadas no cemitério Santa Ifigênia, após ter percorrido todo o país e ter recebido o tributo de todo o povo.

Justamente às 7 horas da manhã, quando o Sol apenas começava a sair, foi escutado nosso Hino Nacional e foi revezado o plantão de honra a Mariana Grajales, Carlos Manuel de Céspedes, José Martí e Fidel Castro.

Em nome do povo de Cuba foi depositada uma oferenda floral na pedra que guarda as cinzas do Comandante-em-chefe, enquanto se escutava a música «Eterno Fidel», interpretada pela Banda de Música do Estado Maior Geral das Forças Armadas Revolucionárias.

Bem cedo na manhã, o povo de Santiago saiu às ruas, para demonstrar que Fidel ainda é vivente em seu povo. Photo: Eduardo Palomares

Mais tarde, voltou a empolgar a voz de Fidel quando em maio de 2000, em um ato diante de milhares de pessoas, na Praça José Martí da capital, legou-nos o Conceito de Revolução, que se converteu em pilar essencial de nossas lutas e ao que milhões de cubanos juraram fidelidade nos dias memoráveis do seu funeral.

Acompanhado por vários membros do Bureau Político e representantes das organizações de massas, Raúl depositou flores brancas para honrar Fidel, o Apóstolo José Martí, o Pai da Pátria Carlos Manuel de Céspedes e a Mãe da Pátria Mariana Grajales.

Antes de partir do cemitério, o general-de-exército chegou também até o túmulo familiar que guarda os restos dos irmãos Josué e Frank País, jovens revolucionários de coragem insuperável, aos quais também deu seu tributo, com uma flor branca.

Ao concluir a cerimônia, milhares de moradores de Santiago de Cuba vieram em uma nutrida peregrinação até o cemitério Santa Ifigenia para honrar o Comandante-em-chefe. Enquanto avançavam pela avenida Pátria bradavam consignas, reafirmando que Fidel está e estará sempre junto aos cubanos. Evocar Fidel dessa maneira, um ano após sua partida física, constitui a melhor homenagem.