ÓRGÃO OFICIAL DO COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DE CUBA

DIEGO Manzano é espanhol e visita Cuba pela primeira vez. Em seu percurso, chegou até Jardines del Rey para, segundo diz, «desfrutar deste pequeno recanto do paraíso». Como ele, mais de 3.120 visitantes estão alojados, hoje, nas 16 instala-ções que existem nas ilhotas deste arquipélago.

Jardines del Rey, um dos destinos de sol e praia mais visitados do país, conta com 7.720 instalações, distribuídas nas ilhotas Guillermo e Coco. Redes hoteleiras tão importantes como Sol Melia, Iberostar, Pestana, Acor, Memories e o grupo hoteleiro Sercotel marcam presença no destino, junto às entidades hoteleiras cubanas Gran Caribe e Cubanacán e os grupos Gaviota e Islazul.

UM DESTINO COM NOVA IMAGEM

«Depois da passagem do furacão Irma mais de 70% dos hotéis sofreu danos; no entanto, hoje todos se encontram oferecendo serviços e com uma nova imagem que oferecer aos visitantes», garante Lesner Gómez Molina, vice-delegado do Ministério do Turismo (Mintur) em Ciego de Ávila.

«As instalações hoteleiras sofreram danos, sobretudo nos te-lhados, na marchetaria e na vidraçaria. Os barracões de praia foram quase todos destruídos pelo mar, mas hoje já pode ser vista outra imagem», acrescenta.

O Ministério do Turismo e as entidades do governo criaram um grupo de direção e fizeram o relatório dos danos. «Imediatamente, explica Gómez Molina, se iniciou a limpeza e coleta de escombros. Quinze dias depois começaram os trabalhos de reconstrução».

«É preciso reconhecer a participação dos grupos nacionais da entidade Emprestur, as unidades de construtores militares, bem como do Ministério da Construção de várias províncias que contribuíram com seus serviços na reparação dos hotéis. Também é preciso salientar o esforço dos trabalhadores de todas as instalações, os que estiveram em todo momento ajudando na recuperação», explica o vice-delegado do Ministério do Turismo em Ciego de Ávila.

Relativamente à infraestrutura, hoje se pode apreciar, também, a recuperação total das redes hidráulicas e as comunicações. O investimento feito antes do furacão, para soterrar a eletricidade permitiu que não ocorressem danos nesse sentido.

Por outro lado, a estrada da Ilhota Coco está restabelecida. Continua o trabalho no caminho à Ilhota Paredón e a ilhota Cruz, investimentos que estão previstos para 2018, com novos hotéis.

Em 1º de novembro, todas as instalações de Jardines del Rey começaram a receber clientes e hoje se encontram prontas para dar passagem, em 15 de dezembro, a uma temporada com um produto completamente renovado.

«Fiquei espantada, perguntei e realmente não posso acreditar na rapidez com a qual se restaurou tudo. Contaram-me como tinha ficado o hotel e como todos os empregados ajudaram para acelerar o processo. Estava um pouco assustada porque a data era muito próxima ao que tinha acontecido, mas tudo está impecável», comenta uma visitante argentina.

MELHORES PRAIAS, MAIS SERVIÇOS

«Jardines del Rey mantém as praias transparentes e a areia fina», assegurou Gómez Molina. As praias não foram prejudicadas e o furacão permitiu que hoje haja muita mais areia».

«No ano passado, realizou-se um importante preenchimento de areia nestas praias. O investimento, de mais de oito mi-lhões de dólares, foi feito entre o Ministério do Turismo e o da Ciência Tecnologia e Meio Ambiente (Citma). Realizou-se em três setores: Praia do Paso, na ilhota Guillermo, Praia Flamenco e Praia Las Coloradas, na ilhota Coco. Neste ano fica pendente realizar esta mesma ação em Praia Larga», acrescenta o funcionário.

Além dos hotéis, Jardines del Rey conta entre suas atrações com instalações extrahoteleiras. Entre elas se encontram centros comerciais, parques de atração e o tanque dos golfinhos, espaços de recreação que, tal como os hotéis, encontram-se renovados e, inclusive, com novos serviços de wifi na zona. Hoje, estão operando todos os centros de mergulho, pesca, catamarã e safári.

«As marinas das Ilhotas Coco e Guillermo abriram, e também o tanque dos golfinhos. Os golfinhos se encontram de novo em seu hábitat, a transferência foi um sucesso e os clientes podem desfrutar também do conforto do lugar. O local dos golfinhos tem hoje novas passarelas, mobília e o bar mostra uma imagem renovada», explica o vice-delegado do Mintur em Ciego de Ávila.

O aeroporto da ilhota Guillermo se encontra operando desde o passado dia 3 de novembro. Já recebe voos do Canadá, Inglaterra, Rússia, Argentina e começará um novo voo doméstico Havana-ilhota Coco-Holguín, uma importante ligação para aqueles operadores turísticos que não têm voos diretos a esse destino.

Duas das instalações de maior atração para os visitantes são o sistema de cabos para esquiar e a Torre de Vidro. Atividades novas no destino que o tornam também diferente.

«A Torre de Vidro, uma instalação com mais de 90 atrações para crianças, jovens e nem tão jovens não sofreu prejuízos durante o furacão. Hoje, continua potenciando-se sua comercialização, sobretudo para aqueles que gostam de escalar e deslizar-se do ar. Podemos encontrar ali, um balanço mecânico, uma queda livre de mais de 12 metros de altura e outras muitas atrações. Por sua parte, o sistema de cabos para esquiar é a única atração fechada e espera abrir no mês de janeiro», afirma Gómez Molina.

MAIS DO QUE SOL E PRAIA

«Cuba é um país que oferece muitas coisas diferentes e todas estupendas», assegura um visitante espanhol.

«Jardines del Rey não é apenas sol e praia, também é história e natureza. Hoje, o destino turístico tem melhores condições, melhoras e um novo produto para enfrentar a temporada alta. Queremos que as pessoas levem uma boa lembrança», assegura o vice-delegado do Mintur em Ciego de Ávila e continua:

«O desafio é fortalecer a qualidade dos serviços, que o cliente vá embora satisfeito com o tratamento, com a comida, a variedade das bebidas, a animação, as excursões, algo que só será possível com o apoio dos trabalhadores».

Segundo Gómez Molina, dezembro promete ser um bom mês. Jardines del Rey terminará um ano, apesar da passagem do furacão, como se planejava e com instalações recuperadas e prontas para ter uma temporada à altura da que se espera.

Hoje, seu mercado principal continua sendo o Canadá, seguido da Inglaterra, Rússia e Portugal. No verão, a segunda colocação é ocupada pelo mercado nacional, pois em meses como estes há mais de 300 visitantes nacionais nas instalações hoteleiras.

O destino turístico Jardines del Rey conta com mais de 8.024 apartamentos na província ao incluir as ilhotas e as instala-ções em Ciego de Ávila e Morón.

No ano 2016 mais de 450 mil visitantes estiveram no destino e em 2017, até o fechamento de setembro, mostrava mais de 15% de crescimento. A perspectiva é que Jardines del Rey ajude com os resultados econômicos que se esperam do turismo, a fim de contribuir para o desenvolvimento do país.